Por dentro do Museu Imperial


Casa de Cláudio de Souza comemora os 135 anos de nascimento do escritor*

No próximo dia 20 de outubro, comemoram-se os 135 anos de nascimento do escritor e dramaturgo Cláudio de Souza. Para celebrar a data, a Casa de Cláudio de Souza – pertencente ao Museu Imperial –, a Academia Petropolitana de Letras e Ciências e o Teatro Experimental Petropolitano (TEP) realizarão uma leitura dramatizada de textos do escritor.


Na ocasião, serão lidos trechos das obras de Cláudio de Souza Eu Arranjo Tudo (1915), A Matilha (1924) e Flores de Sombra (1916), com participação dos atores do TEP Janine Meirelles, Fernanda Mury, Silvio Rafael, Joaquim Eloy, Patrícia Ávila e Sylvio Adalberto. Serão interpretadas ainda duas cortinas poéticas: Bon Soir Mademoiselle la Lune!, ambientada na época da “Belle Époque”, e  Os Amores de Colombina, recordando  o teatro clássico italiano, ambos de J. Eloy Santos.

Fundado em 1956, o Teatro Experimental Petropolitano é um dos ícones do teatro da cidade. Desde sua fundação, encenou obras de diversos autores brasileiros, estrangeiros e petropolitanos.

A leitura dramatizada acontecerá no dia 20 de outubro, às 19h, na Casa de Cláudio de Souza (Praça da Liberdade, nº 247, Centro, Petrópolis). A entrada é gratuita. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mailmimp.casaclaudiodesouza@museus.gov.br ou pelo telefone (24) 2245-3418.

Cláudio de Souza

Natural de São Roque (SP), Cláudio Justiniano de Souza (1876-1954) era filho de Cláudio Justiniano de Souza e Antônia Barbosa de Souza. Sua inclinação para a escrita começou bem cedo, colaborando para os jornais cariocasO Correio da Tarde e A Cidade do Rio a partir dos 16 anos de idade.

Em 1897, formou-se em medicina no Rio de Janeiro e retornou para São Paulo, clinicando na capital e lecionando na Faculdade de Farmácia, hoje pertencente à Universidade de São Paulo.

Em 1898, publicou seu primeiro trabalho, Os nevropatas e os degenerados, ao mesmo tempo em que continuou contribuindo para jornais por meio de pseudônimos. Sua estreia no teatro ocorreu em 1915, com a comédia Eu arranjo tudo. Pouco depois, apresentou Flores de sombra, que se tornou uma obra de grande influência no teatro brasileiro.

Membro-fundador da Academia Paulista de Letras, em 1909, abandonou definitivamente a medicina em 1913, passando a dedicar-se às viagens pelo mundo e à literatura. Casado com a Sra. Luísa leite de Souza, filha do barão do Socorro, fixou residência no Rio de Janeiro.

Escreveu inúmeras peças teatrais, artigos e textos científicos. Eleito para a Academia Brasileira de Letras, em 1924, ocupou a cadeira de número 29 (cujo patrono é Martins Pena). Presidiu a ABL por duas vezes, em 1938 e 1946, tendo então dirigido as comemorações do cinquentenário daquela instituição.

A Casa de Cláudio de Souza

Em 1956, a viúva de Cláudio de Souza, dona Luísa, doou sua casa em Petrópolis, junto com seu acervo, ao Museu Imperial. Hoje, o espaço funciona como um museu e centro cultural dedicado a seu antigo proprietário, com móveis e objetos originais da casa, além da biblioteca do escritor, com 660 obras.

A Casa de Cláudio de Souza pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 11h às 18h, com entrada gratuita. Atualmente, além da exposição permanente, o público pode conhecer também a exposição temporária “O olhar feminino na literatura de Cláudio de Souza”, que aborda como o universo feminino era retratado pelo escritor não somente em seus livros e peças, mas também nos artigos que escrevia para a Revista Feminina sob o pseudônimo de Anna Rita Malheiros.



SERVIÇOS

Celebração do aniversário de Cláudio de Souza
Leitura dramatizada de obras do escritor com o Teatro Experimental Petropolitano
Data: 20 de outubro de 2011 – 19h
Local: Casa de Cláudio de Souza
Entrada franca
Informações: mimp.casaclaudiodesouza@museuimperial.gov.br / (24) 2245-3418

Casa de Cláudio de Souza – Museu Imperial
Endereço: Praça da Liberdade, nº 247, Petrópolis – RJ
Telefone: (24) 2245-3418
Visitação: de terça a sexta-feira, das 11h às 18h
Entrada gratuita

Biblioteca de Cláudio de Souza:
Funcionamento: de terça a sexta-feira, das 13h30 às 17h30 (livre) e na parte da manhã (mediante agendamento por e-mail)

*Texto Assessoria de imprensa do Museu Imperial
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog

assine nossa newsletter!