Por dentro do Museu Imperial

Sociedade de Amigos doa peças para o acervo do Museu Imperial*

Doações foram realizadas no evento de comemoração dos 20 anos da SAMI



No último sábado, dia 05 de novembro, foram comemorados os 20 anos da Sociedade de Amigos do Museu Imperial (SAMI). Para celebrar, foi realizada uma cerimônia na qual a associação presenteou o Museu com peças para os acervos museológico, arquivístico e bibliográfico da instituição.

Para a Biblioteca, foi doada uma obra raríssima, “Funcções do casamento de sua Magestade Imperial, o senhor Dom Pedro I° com a sereníssima senhora princesa Amelia de Leuchtenberg”. O livro, datado de 1830, traz todo o serviço do casamento de d. Pedro I com sua segunda esposa, d. Amélia, além de poemas e dedicatórias escritas para os noivos. Entre elas, encontra-se uma ode escrita por Félix Émile Taunay, importante pintor francês do século XIX.

O Museu recebeu ainda, para o setor de Museologia, um retrato de d. Leopoldina, primeira imperatriz do Brasil. A pintura tem autoria e data desconhecidas, mas, pelos trajes, é possível identificar que d. Leopoldina foi retratada já como imperatriz, o que restringe o período entre 1822 e 1826, ano de seu falecimento.

Já o Arquivo Histórico foi presenteado com uma série de oito fotografias que formam um panorama em 360° de Petrópolis. As imagens foram capturadas em 1898 por Jorge Henrique Papf, a partir do Morro do Cruzeiro (conhecido atualmente como Morro dos Milionários) e incluem a cadeira na qual o imperador d. Pedro II costumava se sentar para apreciar a vista da cidade.

O presidente da SAMI, dr. Miguel Pachá, ressaltou a importância das sociedades de amigos de museus. “Essas associações são necessárias para que o museu possa desenvolver atividades além das possibilitadas pelo seu orçamento anual, como é o caso da aquisição dessas peças. Assim, mantemos os museus vivos”.

O diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Júnior, lembrou que, na data, também era comemorado o Dia Nacional da Cultura, sendo uma ocasião para enfatizar a importância da SAMI não só para o Museu Imperial, mas para a cultura de forma geral.

“As principais missões de um museu são preservar, pesquisar e comunicar seu acervo. E a Sociedade de Amigos e demais parcerias que o Museu possui permitem ampliar essas atividades”, afirmou. “Através dessas parcerias, conseguimos desenvolver projetos como o espetáculo Som e Luz, patrocinado pela Eletrobras, o restauro da Berlinda de Aparato de d. Pedro II, financiada pela GE Celma, e o Projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial (DAMI), patrocinado em sua primeira fase pela IBM e, atualmente, mantido pela própria SAMI”.

Após a cerimônia, foi oferecido pela SAMI um concerto de Turíbio Santos no Cine Teatro Museu Imperial, gratuito e aberto à população. Considerado um dos principais violonistas brasileiros da atualidade, Turíbio apresentou obras de importantes compositores nacionais, desde Heitor Villa-Lobos a Jackson do Pandeiro, passando por João Pernambuco eLuíz Gonzaga.

*Texto: Assessoria de Imprensa do Museu Imperial
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog

assine nossa newsletter!