Por dentro do Museu Imperial


Desenvolvimento do turismo no estado do Rio de Janeiro é debatido no Museu Imperial*

*Texto: Assessoria de Imprensa do Museu Imperial

O potencial turístico de Petrópolis e de todo o estado foi debatido nesta quinta-feira, 02 de fevereiro, em um evento no Museu Imperial/Ibram/MinC. O seminário “Estrada Real e as oportunidades para o estado do Rio de Janeiro” abordou como as nove cidades do estado que fazem parte dessa estrada podem se beneficiar turística e economicamente.

Museu Imperial
Aberto há mais de 300 anos pela Coroa Portuguesa para ligar o Rio de Janeiro às Minas Gerais, a Estrada Real possui 1,6 mil quilômetros de extensão, passando por 199 municípios de MG, RJ e SP. São quatro caminhos: o Caminho Velho, o Caminho Novo, o Caminho do Sabarabuçu e o Caminho dos Diamantes. Hoje, após sua revitalização, a estrada tornou-se um destino turístico reconhecido no Brasil e no exterior.

Segundo afirmou o diretor do Museu Imperial, é preciso que o estado do Rio de Janeiro se aproprie da condição de integrante da Estrada Real. “Recentemente, o Museu concorreu no concurso das 7 Maravilhas da Estrada Real e não foi contemplado, assim como nenhum outro atrativo do Rio de Janeiro. Isso mostra que nosso estado ainda não se vê como integrante da Estrada Real. Este seminário é um primeiro passo para modificar esse pensamento”.

O subsecretário de Estado de Turismo, Audir Santana, lembrou que a Estrada Real pode ser mais uma ferramenta para fomentar o turismo no Rio de Janeiro. “O Estado quer participar como parceiro nesse projeto para alavancar o turismo e, consequentemente, o desenvolvimento econômico dessas cidades”, declarou. Ainda segundo ele, essa é a oportunidade de mostrar aos turistas que não existe apenas uma “cidade maravilhosa” no estado. “Existem várias, e Petrópolis é uma delas”.

Representando o prefeito de Petrópolis, Paulo Mustrangi, o secretário de governo Charles Rossi ressaltou que o evento era também uma chance de corrigir o “erro histórico” do Rio de Janeiro de não ter se engajado no desenvolvimento da Estrada Real, como fez Minas Gerais. “Temos a responsabilidade histórica de resgatar a Estrada Real para o nosso estado”, colocou.

O diretor geral do Instituto Estrada Real, Baques Vladimir Carvalho Sanna, apresentou o projeto da Estrada Real, que, de acordo com ele, tem como objetivo promover o turismo ao longo de toda a sua extensão. “Com esse projeto, geramos empregos e capacitamos os profissionais de turismo a receber melhor os visitantes. Temos potencial para receber 30 milhões de turistas por ano, o que representa 15 bilhões de dólares por ano para a economia. Mas, para isso, precisamos nos preparar”, enfatizou.

O Instituto Estrada Real foi criado em 1999 e busca o desenvolvimento sustentável dos municípios da Estrada Real. Para mais informações, acesse www.estradareal.org.br.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog

assine nossa newsletter!