Por dentro do Museu Imperial


Palestra de historiadora mexicana no Museu Imperial aborda a construção da ideia de “América”*



*Texto: Assessoria de Imprensa do Museu

O processo intelectual que resultou na ideia de “América” como sinônimo de “Estados Unidos” foi o tema desenvolvido pela historiadora mexicana Alicia Mayer no Museu Imperial, no último dia 26 de março. A palestra “Los Estados Unidos de América en el imaginario histórico y geográfico” foi possível graças a uma parceria entre o Museu e o Consulado Geral do México no Rio de Janeiro.

O diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Jr., ressaltou a importância da parceria. “A relação bilateral entre Brasil e México ainda é pouco estudada, apesar de termos fatos históricos que nos unem. Ambos os países tiveram imperadores, por exemplo. E o imperador Maximiliano, que era primo de d. Pedro II, visitou este palácio em 1860. É preciso estreitar mais os laços entre os dois países”.

Na palestra, Mayer abordou o processo de criação da ideia de “América” em uma perspectiva temporal e espacial, exemplificada por meio de mapas históricos. “Por que os estadunidenses entendem ‘América’ como seu próprio país e se consideram ‘americanos’? Esse foi um processo intelectual desenvolvido ao longo do tempo e que teve relação com a formação de uma consciência espacial, histórica e, consequentemente, nacional”, afirmou.

Segundo a pesquisadora, esse processo ocorre desde o período colonial e possui explicações ideológicas, econômicas e políticas, que foram se desenvolvendo até chegarem ao seu ápice no século XIX. “Após a Independência, começa uma tentativa de rechaçar a presença europeia. Nessa perspectiva, vem a Doutrina Monroe, em 1823, que afirma: ‘a América para os americanos’. Os mapas colocam os Estados Unidos em posição central e funcionam para criar uma identidade nacional, a partir do conceito de ‘América’. Não é apenas um conceito geográfico, mas também histórico”.

Alicia Mayer é pesquisadora titular e diretora do Instituto de Investigaciones Históricas, da Universidad Nacional Autónoma de México. Doutora em História pela Facultad de Filosofía y Letras da mesma universidade, é especialista em história intelectual do período colonial americano e da época moderna na Europa, possuindo diversas obras publicadas e vários prêmios.

Além de Mayer, também estiveram em Petrópolis o cônsul-geral do México, Sr. Armando Arriazola Peto Rueda, e o cônsul Alberto Aura. Eles conheceram o Museu Imperial e outros pontos turísticos acompanhados pelo diretor, Maurício Ferreira.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog

assine nossa newsletter!