Por dentro do Museu Imperial



Prestigiado por autoridades, evento no Museu Imperial presta homenagem a doadores

Na última quarta-feira, 21 de novembro, o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), José do Nascimento Jr., diretores de museus de todo o país, membros do Conselho Internacional dos Museus (ICOM) e outras autoridades visitaram e participaram de uma solenidade no Museu Imperial. O evento fez parte da programação do 5º Fórum Nacional de Museus, realizado pelo Ibram e que acontece até sexta-feira (23/11) no Palácio Quitandinha.
 
Após uma visita ao palácio conduzida pelo diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Jr., os convidados conferiram uma apresentação do Coral Dó Ré Mi – Coro Modelo do Projeto Canta Petrópolis, regido pelo maestro Leonardo Randolfo. “O Fórum Nacional de Museus é um marco para a nossa cidade e deixará muita coisa, como essa troca de experiências. Com esse coral, vocês estão conhecendo uma parte da cultura petropolitana e a levarão com vocês para outras regiões do Brasil e para outros países”, declarou Randolfo.

Em seguida, aconteceu uma homenagem a alguns dos principais doadores do Museu Imperial, que realizaram a entrega simbólica de peças. “O Museu tem, em seu rol de doadores, mais de mil pessoas, que, com seus gestos, contribuem para a cultura da cidade, do país e do mundo. Com sua generosidade, desprenderam-se de seus bens e os tornaram bens da coletividade”, afirmou o diretor do Museu Imperial, Maurício Ferreira.

Segundo o presidente do Ibram, José do Nascimento Jr., além do desprendimento, o ato de doar para instituições públicas demonstra a certeza de que o acervo será preservado. “É uma demonstração de que as instituições funcionam e merecem a confiança da sociedade. O ato da doação é desprovido de interesses de ambas as partes; o único interesse é disponibilizar aquele bem publicamente”.

Na cerimônia, foram entregues aos setores técnicos do museu três coleções. O doador Walter Berner entregou à chefe do setor de Museologia, Ana Luísa Alonso de Camargo, peças e documentos que pertenceram a Wilhelm Gustav Berner, organeiro alemão radicado no Brasil no início do século XX e conhecido no país como Guilherme Berner. Sua fábrica construiu órgãos como o da Catedral de São Pedro de Alcântara, o do Mosteiro de São Bento, o da Cruz dos Militares e o do Convento de Santo Antônio.

A chefe da Biblioteca, Claudia Maria Souza Costa, recebeu das mãos do Sr. Kenneth Light o livro “A concise and accurate account of the proceedings of the squadron under the commenad of Rear Admiral Sir Sydney Smith, K.S. & c.”, editado em 1810 e que trata da vinda da família real portuguesa para o Brasil em 1808. O livro faz parte de uma coleção de oito obras raras doadas pelo Sr. Light ao Museu, todas relacionadas aos primeiros anos do século XIX, em especial d. João VI e a viagem da família real.

Já a equipe do Arquivo Histórico, formada pelas arquivistas Neibe Machado da Costa e Thais Cardoso Martins, recebeu álbuns fotográficos e fotografias avulsas de Maria Lúcia Sanson, que complementarão a coleção de imagens já doada anteriormente por ela e seu marido, Luiz Alberto de Sanson, ao Museu. São registros visuais de cidades, monumentos, eventos sociais, políticos e ambientais que pertenceram a Octávio Mendes de Oliveira Castro, filho do barão de Oliveira Castro, e a seu sogro, João Teixeira Soares.

Os três doadores ressaltaram a importância da doação para preservar a memória de suas famílias e acervos. “O fato de o Museu Imperial acolher essa documentação deve servir de exemplo a outras instituições. Se não houvesse esse acolhimento, a coleção certamente iria se perder”, destacou Walter Berner.

O evento foi encerrado com uma apresentação do espetáculo Som e Luz, que reconta os principais acontecimentos do Império brasileiro e a vida da família imperial em Petrópolis através de efeitos especiais de iluminação e sonorização.

*Texto: Divulgação

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog

assine nossa newsletter!