Livro: A cidade por Bandeira (Editora Batel)


A cidade por Bandeira (Editora Batel) chega às livrarias no dia 27 de fevereiro reunindo trechos selecionados da obra de um dos maiores poetas da língua portuguesa - Manuel Bandeira - com imagens do jovem fotógrafo Benoit Fournier. 

Nele, com a sensível curadoria de Elza Kawakami e Gueko Hiller, a figura humana e o local onde habita - um passeio solto por um Rio exuberante sem ser o do cartão postal - dão o tom.

O conteúdo das 188 paginas, encontrou no projeto gráfico contemporâneo e sofisticado de Gueko Hiller, o amálgama perfeito das experiências sensoriais, provocadas pela complexidade de uma cidade, vista por duas pessoas de fora que escolheram o Rio para morar.


Íntegra do lançamento:


A CIDADE POR BANDEIRAManuel Bandeira e Benoit Fournier

A cidade por Bandeira é uma obra que se baseia em encontros. Construído para ser um encontro, sem a pretensão de ser um acontecimento. Apenas um encontro solto, de narrativas de quem passeia pelas ruas do Rio meio sem foco, ao acaso. A poesia de Manuel Bandeira vem para promover o dialogo infinito com a reflexão, para ultrapassar o tempo e os limites das imagens, das páginas, num encanto transbordante.

Nesse caso temos um feliz encontro: de um dos maiores poetas da língua portuguesa – Manuel Bandeira -  com um competentíssimo e jovem fotógrafo que escolheu o Brasil – Benoit Fournier - , que acharam no design arrojado e sofisticado de Gueko Hiller o amálgama perfeito dessas experiências verdadeiramente sensoriais.  

O livro pretende apresentar do cotidiano ordinário algo extraordinário, na visão de pessoas de outros lugares que escolheram o Rio para viver. Um fotógrafo que vagueia olhando a natureza na cidade, nas pessoas, e um designer contemporâneo que dialoga com os acasos e procura dar sentido às imagens.  Mas é  a poesia de Manuel Bandeira que acalma o vaguear.

Texto:
Manuel Bandeira dispensa apresentações.  Nascido em Recife, em 19 de abril de 1886,  faleceu em 13 de outubro de 1968, no Rio de Janeiro. Durante a sua vida, esteve em muitos lugares e sempre voltou para o Rio. A primeira vez foi em 1890, aos quatro anos de idade, quando veio com a família. Ficaram apenas dois anos e depois voltaram para o Recife. Quatro anos mais tarde voltaram para o Rio e se fixaram em Laranjeiras. Estudou no Colégio Pedro II e teve seus poemas publicados pela primeira vez na primeira página do Correio da Manhã, em 1902. Nesse mesmo ano partiu para São Paulo para cursar a Escola Politécnica, para se tornar arquiteto, como seu pai. Mas ao final do ano de 1904 ficou doente do pulmão. Voltou para o Rio e seguiu para cidades serranas adequadas para tratamento, indo depois para a Europa, para a cidade de Clavadel, com a finalidade de tratar-se. A Primeira Guerra Mundial o trouxe de volta para o Rio. Em 1917 lançou seu primeiro livro, As cinzas das horas. O segundo, Carnaval, saiu em 1919. Daí em diante, foram muitos os títulos na poesia e na prosa. Além de organizar antologias, fez algumas viagens pelo Brasil e Europa, mas foi para o Rio que sempre voltou.  É um dos maiores poetas do Brasil.

Fotografia:
Benoit Fournier nasceu em 1981 em Carpentras, na França. É mestre em administração internacional com especialização em América Latina (IAE de Bayonne – França/PUC-Curitiba).  A fim de concluir sua formação, morou no México e na Espanha, e em 2006 chegou ao Rio de Janeiro, onde resolveu fixar endereço. Começou a fotografar aos 20 anos de idade, incentivado por seu pai jornalista, de quem ganhou a primeira câmera. Trabalha como fotógrafo nas áreas documental e comercial. Fez exposições individuais como no Foto Rio em 2009, coletivas no Festival de Tiradentes em 2013  e mostras no Ateliê da Imagem. Também em 2013 ganhou o concurso Prix Photo Web, promovido pela Aliança Francesa. Hoje dedica-se à realização de trabalhos autorais, tendo a água como guia: água do mar, água de rio, água de cores, temperaturas e texturas diferentes. 

Edição e projeto:
Gueko Hiller, no Rio de Janeiro desde 2006, onde cursou bacharelado em Estudos de Mídia pela Universidade Federal Fluminense, é um artista multiplataforma paulista. Com relevante experiência em diversas áreas da comunicação contemporânea, atua no mercado como diretor de criação. Nas artes visuais, além de produções autorais e a colaboração com outros artistas, assina no cinema a direção de arte em diferentes títulos. Como ator, além de filmes publicitários, esteve em mais de 20 curtas e longas do cinema independente nacional e internacional, como em Limitations, de Anna Katharina Scheidegger, do Estúdio Nacional de Artes Contemporâneas parisiense.



Tiragem: 2.000 exs.
Páginas: 188  
Formato: 29 x 34 cm  
Capa: Capa dura com sobrecapa em papel cuchê 170 g
Miolo: Papel cuchê 150 g impresso a 4 cores
Fotografias: cerca de 160
Texto: Português e Inglês
Preço de capa: R$ 100,00
ISBN: 9788599508459


Texto: Assessoria de Imprensa

Saiba mais sobre Chandra Santos: http://bit.ly/1bifsNS 

Visite minha lojinha!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog

assine nossa newsletter!