Mostra “Candido Portinari doação Finep” segue no MNBA


Em janeiro passado, mês de seu aniversário de 77 anos, o Museu Nacional de Belas Artes MNBA/Ibram/MinC comemorou a chegada de um valioso acervo de 222 obras de Candido Portinari, doado pela Finep. Após passarem por restaurações, cerca de 65 obras desta primorosa coleção estão em exibição pela primeira vez na mostra “Candido Portinari doação Finep”. A exposição conta com núcleos temáticos: retratos, social, religioso e ilustração, como os trabalhos para livros de Machado de Assis (“O alienista” e “Memórias póstumas de Braz Cubas”, por exemplo).
Para a diretora Monica Xexéo, a mostra representa a “doação à sociedade de um conjunto de obras que nunca foram expostas”. 

De 2 de julho até novembro, serão exibidos os estudos e desenhos para murais da Igreja de São Francisco de Assis, situada na Pampulha, em Belo Horizonte-MG, e projetada por Oscar Niemeyer. Os trabalhos para os ciclos econômicos dos painéis do Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro, e para jogos infantis também se destacam na exposição, assim como as matrizes de gravuras de personagens históricos, como o inconfidente Tiradentes. 


 Doação e recorde 

A parceria da Finep com o Projeto Portinari vem de longa data. A agência forneceu recursos para a realização de pesquisa completa do legado do pintor, que conta com mais de cinco mil obras, espalhadas pelo mundo inteiro. Como parte do pagamento de dívidas, o Projeto cedeu 222 obras de Portinari à Finep, que formalizou a doação total das peças ao Museu Nacional de Belas Artes no início do ano. 

“Temos a certeza de que encontramos o lugar certo para expor estas obras. Sabemos o quanto esta doação é importante para a cultura brasileira”, afirmou o presidente da Finep, Glauco Arbix. 

Com este aporte fundamental, o MNBA passou a ser o museu brasileiro com maior número de obras de Candido Portinari, somando 243 itens do artista nascido em Brodowski. Nesta conta incluem-se outros trabalhos de Portinari que já pertenciam ao acervo do MNBA, como as obras fundamentais “Café”, retrato de “Olegário Mariano”, além da monumental tela “Primeira Missa no Brasil”, pintada em 1948, no Uruguai, e doada em janeiro de 2013 pelo Ministério de Cultura. 

O artista 
Candido Portinari nasceu em 30 de dezembro de 1903, no interior do estado de São Paulo. Viveu sua infância na pequena cidade de Brodowski e, aos 15 anos, mudou-se para o Rio de Janeiro. Sem curso primário completo, e à custa de muita obstinação e talento, tornou-se um dos mais famosos pintores das Américas. Com sua morte prematura, aos 58 anos, Portinari deixou um extraordinário legado de mais de 5 mil obras, entre murais, afrescos, pinturas, desenhos e gravuras que representam uma ampla síntese crítica de todos os aspectos da vida brasileira de seu tempo. 

SERVIÇO 
ENTRADA FRANCA 
Exposição Portinari e Coleção Finep 
Período: de 1º de julho até novembro de 2014 
Visitação: terça/sexta de 10h às 18h; sábado, domingo e feriado de 12h às 17h Local: Museu Nacional de Belas Artes Endereço: Av. Rio Branco, 199 – Cinelândia (Centro do Rio) Informações: (21) 3299-0600. Texto:Nelson Moreira - Assessoria de imprensa do MNBA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog

assine nossa newsletter!