Sergio Gonçalves Galeria apresenta a mostra Desenhos – anos 80 até janeiro


Segue até janeiro na a Sergio Gonçalves Galeria, no Centro, a mostra individual Desenhos – anos 80, de Jorge Duarte. A exposição acontece em comemoração aos 30 anos da Geração 80, ocorridos em 2014 e contará com texto do crítico de arte Fernando Cocchiarale.

A mostra reunirá cerca de 35 desenhos do artista, que é um dos expoentes da chamada Geração 80. São desenhos inéditos, realizados durante a década de 80 do século passado e que refletem a produção do artista no período, marcado por sua produção pictórica, sendo alguns deles estudos preparatórios para pinturas de grandes formatos realizadas na época. Em sua maioria, no entanto, são obras independentes, realizadas em diversas técnicas como grafite, lápis de cor, nanquim, etc.



A principal marca das obras é o traço rápido e impulsivo que dialogam com os grafiteiros e com os cartunistas. O foco temático é a figura humana em ação. Uma grande dose de humor percorre boa parte destes desenhos, mas há também os que são marcados por climas trágicos e angustiantes.

“Este conjunto de desenhos de Jorge Duarte, nunca antes exposto, revela a importância fundamental da estruturação gráfica de sua pintura no começo da década de 80. Não é casual que muitos destes desenhos tenham se tornado “estudos” de pinturas que então o consagraram como expoente da nova safra de pintores surgida há três décadas no Brasil”, comenta o crítico de arte Fernando Cocchiarale.

A exposição fica em cartaz até o dia 9 de janeiro de 2015, de terça a sexta, das 11h às 19h e aos sábados das 11h às 18h.


O Sete Artes esteve na inauguração e conversou com o artista. Confira abaixo:

SA: Por que exatamente estes trabalhos estão expostos aqui?
JD: Esses trabalhos foram feitos no fervor da juventude e no auge da chamada geração 80. E era um período em que o desenho para mim tinha duas funções: eles serviam de base para minha pintura (estudo gráfico) e eram desenhos onde eu buscava exercitar o meu traço sem muita intervenção de pensamento regulador. Eram desenhos mais rápidos, mais diretos, mais elétricos. E eu ia dando vazão também a um certo humor. Às vezes eu pegava um tema e fazia variações dele. Todos os desenhos tem uma história e eu me lembro de todos. Na verdade o que está exposto na galeria é só uma parte da minha produção artística do período. É uma seleção do que eu fiz e eu considero expressivo, capazes de dar uma ideia geral, mais ou menos, desse período que vai de 1983 a 1987.



SA: Essa obra me chamou bastante atenção. Conte um pouco sobre ela.
JD: Ele tem um dado importante porque ele foi feito como um estudo para uma pintura que eu teria que realizar para a Bienal de Paris. Nessa época eu trabalhava muito com o recorte da tela a partir de um retângulo, recortado em partes e remontado. Então sempre tem um elo entre o corte, a remontagem e a ação da figura. Essa obra tem o título de "Titã" e apresenta uma brincadeira com a ideia de figura e fundo.  Então é como se a figura arrancasse o fundo. É uma obra com movimento. E também por um lado existe uma oposição entre a figura em preto e branco e o fundo colorido. 

SA: Qual sua formação? 
JD: Sou formado em Pintura pela EBA, fiz algum tempo de gravura e depois fiz mestrado em História que tinha uma parte de produção que eu fiz focada na área de pintura também. 


SERVIÇO:
Exposição: Desenhos – anos 80
Artista: Jorge Duarte
Local: Sergio Gonçalves Galeria
Endereço: Rua do Rosário, 38 - Centro
Telefone: (21) 2263-7353
Encerramento: 9 de janeiro de 2015
Horário: de terça a sexta, das 11h às 19h e sábados das 11h às 18h
Gratuito


Projeto educativo na Lavradio resgata a história dos azulejos no Brasil

Mesas redondas, palestras, exercícios lúdicos e oficinas integram a programação

A Galeria Scenarium acaba de dar início ao projeto educativo referente à exposição “Azul Cobalto – Azulejos e Memórias”, realizada pelo Instituto Scenarium. O espaço promoverá uma série de atividades pedagógicas direcionadas aos públicos infanto-juvenil, universitários e em geral, até fevereiro de 2015. Além da mostra, que foi aberta na última quarta-feira, dia 05, acontecerão também mesas redondas com profissionais renomados, exercícios lúdicos e oficinas de conservação e criação de azulejos. Os interessados podem se inscrever no site www.galeriascenarium.com.br



“O objetivo desse projeto educativo é eternizar memórias, ao aproximar o público do universo da azulejaria, além de trazer para a realidade do expectador os processos de recuperação de peças antigas que ajudem no entendimento sobre o universo do azulejo, tão presente no patrimônio arquitetônico carioca e brasileiro”, explica Cristina Lodi, curadora do projeto.


Nas palestras, serão abordados o processo de restauração das peças, sua composição gráfica e o trajeto no país e no mundo. Serão discutidos, também, o colecionismo, a musealização de objetos, a história do percurso da azulejaria nos últimos cinco séculos e curiosidades sobre os períodos estilísticos.
Haverá exibição de vídeos que mostram como foram feitas as recuperações e pesquisas das peças da exposição. Nas oficinas, serão ministradas aulas sobre o processo manual de remoção de resíduos de azulejos antigos e produção a partir da técnica de estampilha.



Exposição “Azul Cobalto – Azulejos e Memórias”
Abertura: 05 de novembro
Horário: 13h às 19h
De terça a sábado
Endereço: Rua do Lavradio, nº 15, Centro Antigo, Rio de Janeiro/RJ
Informações: (21) 2252-9138 (novo número)
Entrada gratuita

Oficinas
Oficina 01: Conservação de azulejos
Datas: 19 e 21 de janeiro / 09 e 11 de fevereiro
Horário: 09h às 12h
Inscrições: A partir de 17 de novembro
                Tem como objetivo habilitar os participantes a utilizar técnicas de conservação em azulejos, bem como promover uma reflexão acerca da importância da preservação através da conservação. Terá como público-alvo pessoas interessadas em conservação.
                A oficina se dará em dois módulos em dias distintos com o máximo de 10 inscritos.

1º módulo (tempo de duração de 3 horas)
                Terá como início uma breve reflexão sobre a importância da preservação de bens culturais, seguido da apresentação das técnicas de conservação e sua execução aplicando a metodologia que permita trabalho em série com organização da bancada, com distribuição das ferramentas e materiais a serem utilizadas, e procedimentos de conservação, higienização e acondicionamento.
Insumos:
•             EPI: aventais, luvas cirúrgicas e óculos de proteção;
•             Materiais e ferramentas: placas de Etaflon (250 x 250mm), swob (palitos com algodão), borrifadores, lixas variadas, sacos de algodão, ferramentas para desbaste em cerâmica, plástico bolha (previamente recortados nas dimensões adequadas para acondicionamento das peças), caixas para acondicionamento.
•             Mobiliário e equipamentos: cestos de lixo, mesas e cadeiras individuais

2º módulo (tempo de duração de 3 horas)
                Composição e montagem de painel em placa de MDF, selecionado pelo grupo, para exposição no módulo de encerramento. Avaliação do resultado, registro dos trabalhos e reflexão dos participantes sobre o conhecimento adquirido; exposição com a presença dos participantes dos painéis produzidos no módulo anterior.
Insumos:
•             placas de MDF
•             cola de silicone.

Oficina 02: Criação de azulejos com técnica de estampilha
Datas: 15 e 17 de janeiro / 26 e 28 de fevereiro
Horário: 09h às 12h
Inscrições: A partir de 1º de dezembro

                Reprodução dos motivos das peças da coleção pela técnica de estampilha, que consiste em decorar azulejos com desenhos simples e pintado pelo processo de colocar um molde de papel ou acetato sobre o vidrado do azulejo, permitindo criar uma matriz para cada cor aplicada com uma trincha.
Materiais:
•             Trinchas
•             Molde de papel ou acetato
•             Tinta Acrílica


Sobre o Instituto Scenarium – As atividades do Grupo Scenarium se consolidaram como um exemplo bem sucedido de revitalização de prédios históricos em consonância com desenvolvimento socioeconômico e sustentável da região conhecida como Rio Antigo. No intuito de reafirmar o compromisso do grupo com o desenvolvimento social e cultural, sustentabilidade e preservação do patrimônio histórico e cultural da cidade do Rio de Janeiro, os empresários Nelson Torzecki e Plínio Fróes criaram o Instituto Scenarium, braços de ações sociais e culturais do grupo em atuação desde 1997.
A fim de ampliar e multiplicar as ações sociais do grupo, o Instituto Scenarium se interpôs o desafio de criar o Circuito Colaborativo de Arte e Cultura Scenarium, que tem como objetivo organizar, difundir e promover a pesquisa e dar acesso público ao singular acervo de obras de arte, antiguidades e bens culturais pertencentes ao Grupo Scenarium. O acervo da exposição, identificado como Coleção Nelson Torzecki, foi adquirido ao longo de mais de 20 anos no mercado de antiguidades e entretenimento.
Fazem parte do múltiplo e difuso acervo do grupo, preciosidades como documentos, registros, artefatos e objetos que se ligam diretamente à história da cidade do Rio de Janeiro. As peças revelam o cotidiano, a intimidade e os hábitos dos moradores da antiga capital imperial e republicana em distintos períodos. Muitos desses bens, utilizados nos últimos cinco séculos, se constituem em peças únicas, inéditas para o público, sem similares em coleções e acervos da cidade.
            A exposição “Azul Cobalto – Azulejos e Memórias” representa a primeira etapa do desenvolvimento do Circuito Colaborativo de Arte e Cultura Scenarium.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Biografia - Rosana Urbes: uma vida em desenhos

_Foto_Fernando Fernandes (Lunapress)
Animadora, ilustradora e storyboard artist, Rosana Urbes fez do desenho a sua vida. Os rabiscos iniciados na infância deixaram de ser apenas uma brincadeira de criança e se tornaram a sua arte. O talento esmiuçado no papel deu início a uma carreira premiada e reconhecida dentro e fora do país.  

O filme “Guida”, dirigido por ela, conquistou cinco prêmios no Anima Mundi 2014, o segundo maior festival de animação do planeta. E Rosana, com isso, consagrou-se como a primeira animadora brasileira a vencer a mostra competitiva do festival.

A produção é toda desenhada à mão, com mais de 8 mil desenhos em aquarelas e traços delicados desenvolvidos no período de três anos. O filme fala sobre o amor em todas as suas instâncias através da história de uma bibliotecária de terceira idade que decide mudar de vida e começa a trabalhar como modelo vivo em uma escola de artes. A produção é uma homenagem delicada às artes, às mulheres, ao tempo e à beleza que é o viver.



“Guida” conquistou o Prêmio Canal Brasil e também o de Melhor Curta Brasileiro pelo voto do público na edição do Rio de Janeiro. Já em São Paulo, cenário da história, “Guida” levou os prêmios de Melhor Curta Brasileiro, Prêmio BNDES e Melhor Curta na votação popular. Os cinco troféus renderam o posto de filme mais premiado dos 22 anos do Anima Mundi. 

A primeira animação da artista também conquistou o prêmio de Melhor Curta-metragem de Animação no 6º Festival de Corto Metrajes Imagenes Sociales, na Argentina, na categoria Melhor Curta de Animação da América Latina. Além disso, venceu o Prêmio TV Cultura no “25º Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo”. Ganhou o “NAFF - Festival de Animação de Neum”, na Bósnia, como Melhor Filme (voto do público) e levou o prêmio de Melhor Curta de Animação no Oaxaca Film Fest, no México. “Guida” foi exibido na Coréia do Sul (SICAF) e teve temporadas nas Américas e na Europa.
Rosana traz em sua carreira a experiência de 8 anos trabalhados no exterior, sendo 6 deles nos Estúdio Disney, em filmes como “Mulan”, “Tarzan” e “Lilo & Stitch”. De volta ao Brasil, a artista criou a produtora RR Animação de Filmes e passou a desenvolver diversos projetos internacionais de animação, mantendo, em paralelo, seu trabalho com ilustração de livros como “O Mágico de Oz”, “Zero the Hero”, “Tombaloo”, “Jane and The Goldfish”. Ela também atua como instrutora em oficinas de ilustração, animação 2D e modelo vivo.

Mais informações:
www.rosanaurbes.com

Confira os prêmios conquistados pelo “Guida”:
Melhor Curta-metragem – júri popular – 1ª Mostra de Curtas Bufalo D’água
Melhor Curta-metragem – júri popular – NAFF – Neum Animated Film Festival
Melhor Curta-metragem brasileiro – júri popular - Anima Mundi Rio de Janeiro
Melhor Curta-metragem brasileiro – Prêmio do Canal Brasil – Anima Mundi 2014
Melhor Curta-metragem – júri popular – Anima Mundi São Paulo
Melhor Curta-metragem brasileiro – júri popular - Anima Mundi São Paulo
Prêmio BNDES – Anima Mundi 2014
Melhor Curta-metragem de Animação – júri do festival – 6º Festival de Corto Metrajes Imagenes Sociales
Prêmio TV Cultura - júri do canal – Festival Internacional de Curtas de São Paulo
Melhor Filme de Animação – júri do Festival - 8º Curta Cabo Frio
Melhor Filme de Animação – juri popular - 21º  Festival de Vitória - Vitória Cine Vídeo
Melhor Filme de Animação – júri do Festival - Pink City International Film Festival
Melhor Filme de Animação – júri do Festival - Festival Internacional de Cine de Caracas
Melhor Curta-metragem – júri do festival – Festival Mujeres en Foco
Melhor Curta de Animação – júri do festival - Oaxaca Film Fest
Melhor Curta-metragem – júri do Festival - Mostra Mosca
Melhor Animação Tradicional – júri do Festival - The World Animation  Celebration
Melhor Curta-metragem – júri do Festival - Festival de Cinema de Três Passos
Melhor Curta de Animação – júri do Festival - Festival de Cinema de Três Passos
Melhor Trilha Sonora – júri do Festival – Festival de Cinema de Três Passos
Melhor Curta – Diretor Estreante – júri do Festival - Mostra Miragem
Menção Honrosa – Cine Ceará

Contato para pautas:
Vira Comunicação – 11 4063.0100 (contato@viracomunicacao.com.br)
Tássia Almeida – 11 98144-2866 (tassia@viracomunicacao.com.br)

Guilherme Pichonelli – 11 98076.1234 (guilherme@viracomunicacao.com.br)

Fechando o ano de 2014, a Galeria do Ateliê abre dia 19 de dezembro, a exposição Efígie, coletiva dos fotógrafos

ISMAR INGBER

Ateliê da Imagem não funcionará de 22 de dezembro à  4 de janeiro de 2015
ANA STEWART -- ARLETE SOARES - BRUNO VEIGA - CELINA PORTELA - DANIELA DACORSO - EDU MONTEIRO - EDU SIMÕES - FABIAN - FABIO CARVALHO - FABIO SEIXO - FREDERICO DALTON - ISMAR INGBER - JOAQUIM PAIVA - JOSÉ CALDAS - KITTY PARANAGUÁ - MARCO ANTONIO PORTELA - MARCOS BONISSON - PITI TOMÉ - RENAN CEPEDA - ROGÉRIO REIS e VICENTE DE MELLO
Curadoria de Marco Antonio Portela
Visitação até 28 de fevereiro de 2015
Entrada franca

CARTOGRAFIA DOS DIREITOS HUMANOS APRESENTA: (RE)CONHECER ... PARA NUNCA ESQUECER


A cátedra Unesco de Educação para a Paz, Direitos Humanos, Democracia e Tolerância promove, em parceria com o Ministério Público Federal de São Paulo, a ação (Re) Conhecer... Para nunca esquecer do projeto Direitos Humanos na Cidade de São Paulo. Diversos painéis que retratam os 50 anos do golpe militar de 1964 instalados na entrada da Procuradoria Regional da República da 3ª Região (PRR-3) integram a mostra “(Re)conhecer...para Nunca Esquecer”, em cartaz até dezembro.

O objetivo da exposição, que conta com coordenação geral de Rossana Rocha Reis e curadoria de André Bueno e Gejo, é incentivar o compromisso com a justiça, a memória e a verdade. Oito grafiteiros da capital assinam os painéis - Alexandre Puga, Álvaro Azzan, Fredone Fone, Gejo, Helder Holiveira, Mauro Neri da Silva, Marilena Grolli e Tota.

Sobre o Projeto - Direitos Humanos na Cidade de São Paulo
“Cartografia de Direitos Humanos de São Paulo” é um projeto proposto pela Cátedra Unesco de Educação para a Paz, Direitos Humanos Democracia e Tolerância, sediada no Instituto de Estudos Avançados, em parceria com o Centro Universitário Maria Antônia da Universidade de São Paulo. Por meio de diversas linguagens artísticas, a iniciativa busca estimular a sociedade a entender o significado dos direitos humanos e, ao mesmo, tempo conhecer a história das lutas e das conquistas por direitos humanos que marcaram a cidade.
Sob a coordenação da professora Rossana Rocha Reis, do Departamento de Ciência Política da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e com a coordenação executiva de Rafael Borsanelli, chefe da Divisão de Comunicação do Instituto de Estudos
Avançados da Universidade de São Paulo, o projeto tomou forma e traz em seu bojo uma metodologia que aproxima o público do assunto de maneira reflexiva.
Para reunir as informações deste trabalho, está sendo lançado o site www.cartografiadh.usp.br,  com entrevistas em vídeo com jornalistas, militantes sociais e ativistas que vivenciaram a prática dos direitos humanos em São Paulo. O site traz, ainda, um mapeamento - a cartografia  - de marcos espalhados pela metrópole que relembram e indicam os cenários associados à defesa dos direitos humanos.
Nesse sentido, a cartografia mostra-se como uma importante ferramenta da plataforma digital. Dessa maneira, o público terá acesso a um conteúdo com referências que permitem conhecer o que são e quais são as histórias de luta pelos direitos na capital.  
Mais Informações: www.cartografiadh.usp.br

Serviço:
(RE)CONHECER ... PARA NUNCA ESQUECER
Data: Até – dez/2014 - 14:00, na Procuradoria Regional da República da 3ª Região (PRR-3) - Av. Brigadeiro Luis Antônio, 2.020
Ingresso: Entrada gratuita

Assessoria:
Caroline Arnold | Luciana Zacarias
Baobá Comunicação, Cultura e Conteúdo

Cineastas de Ribeirão lançam websérie de contos do mestre do terror brasileiro, esquecido pelo público há 20 anos



Ribeirão Preto, 16 de dezembro de 2014 - Um grupo de cineastas de Ribeirão Preto (SP) lança no próximo domingo, dia 21 de dezembro, o episódio piloto da websérie “Histórias do Corvo”. Baseada em roteiros originais cedidos pessoalmente ao grupo por Rubens Francisco Lucchetti – considerado o mestre da literatura pulp de terror e suspense no Brasil –, a série trará contos do escritor adaptados em curta-metragem e postados no canal R.F. Luccheti no Youtube.

COLÔNIA DE FÉRIAS DE CIRCO!!


A Hebraica Rio convida as crianças a passar suas tardes de janeiro em uma colônia de férias bem diferente!!
Colônia "Férias de Circo", do Centro de Treinamento em Artes Circences, começa a partir do dia 5 de janeiro e vai até o dia 30 de janeiro. Das 14 as 18hs, a criança vai se divertir experimentando as sensações incríveis que o circo propõe!!!
Atividades no trapézio, tecido, slack line, malabares e acrobacia de solo.

Cada uma das atividades planejadas tem seus próprios objetivos, tais como: levar a criança a sonhar, a libertar a criatividade, a aprender a falar e a ouvir, esperar a sua vez e principalmente partilhar. Desenvolver a linguagem, despertar o interesse e o raciocínio, valorizar, além de muita brincadeira e diversão que é o que as crianças mais querem nas férias.

As atividades são adequadas ao desenvolvimento psicomotor da faixa etária das crianças.
Serviço:
Local: Clube Hebraica
Investimento: 450,00 por semana.
Diária : 100,00
Lanche incluído
Faixa etária : dos 8 aos 12 anos.

Juliana Martins e Sergio Marone estreiam “Eu te Amo”, de Arnaldo Jabor, no Teatro Fashion Mall dia 9 de janeiro


Depois de circular por 20 cidades e ser vista por um público de aproximadamente 15 mil pessoas em 2014, a peça “Eu te amo”, texto clássico de Arnaldo Jabor que já ganhou versão premiada para o cinema, estreia dia 9 de janeiro no Teatro Fashion Mall, em São Conrado. O espetáculo marca a estreia na direção teatral dos cineastas Rosane Svartman e Lírio Ferreira e traz Juliana Martins e Sergio Marone no elenco. “Eu te Amo” fica em cartaz sexta e sábado às 21h30 e domingo às 20h até o dia 1 de março.

Amor, dor de amor, tesão, desejo, ilusão, sexo… coisas de todo mundo e de todos os tempos. Eu te amo de Arnaldo Jabor é considerado um texto sexy. Não é. É um texto sobre a sexualidade. As vezes é drama, as vezes é comédia – é patético como nossa solidão afetiva.

Esta montagem reúne dois diretores de cinema, Rosane Svartman e Lírio Ferreira, em uma proporção incomum - dois diretores para dois atores: Juliana Martins e Sergio Marone. Estreantes na direção teatral, Rosane e Lírio, transformam esse Eu te amo em um grande plano sequência, como um filme que se monta a cada dia no palco, no tempo, no ritmo dos atores e com a presença do público.

A peça se dirige a homens e mulheres que buscam entender melhor o amor e o relacionamento de um casal.
O espetáculo mostra a exposição de um casal, suas diferenças e questionamentos sobre o amor e os relacionamentos. Eu te amo fala de desejo e tesão momentâneos, mas também da carência que vem depois, de um certo vazio, da falta de amor, de rejeição. Uma peça sobre o que seria uma história de amor. Uma fantasia romântica sobre o desejo e a paixão.

Eu Te Amo conta a história de Paulo e Maria, dois derrotados pela vida, ou por si mesmos. Decepcionados com o amor e com a vida profissional, eles se encontram e se apaixonam enquanto fingem ser outras pessoas. Quando caem na real, quando são honestos um com o outro, qualquer vestígio de afeto acaba, ou talvez nada realmente tenha começado.

O texto que deu origem ao filme de 1981, se renova, não só por tratar de afetos contemporâneos como paixão, rejeição, desejo, carência, derrota, como também por brincar com a fronteira entre verdade e mentira, ficção e realidade, que é, praticamente o espírito da atualidade.


INTERNET
Paulo e Maria se conhecem pela internet, onde a ficção e a realidade notoriamente se confundem. Cada um com sua máscara, com seu nickname. Ela finge ser Mônica, uma garota de programa, ele diz que é rico. Mas eles não conseguem enganar um ao outro e nem a si mesmos por muito tempo.

PAULO
Paulo acabou de levar um pé na bunda clássico de Bárbara, atriz, com quem morou 3 anos. Ela foi embora há um mês e ele nem sai mais de casa, onde também funciona sua produtora de cinema falida. Ele se diz um cineasta interrompido sem dinheiro para nada. E fica por ali bebendo, navegando na internet e curtindo mulheres virtuais até que conhece Maria/Mônica.

MARIA                                                                                                                                                
Maria se formou em Letras, mas não consegue emprego na área e trabalha como gerente de uma loja de chocolates. Seu único relacionamento “estável” é com um homem casado, um piloto de avião chamado Ulisses. De saco cheio da sua vida, ela resolve vestir o vestido do seu baile de debutante, fingir que é garota de programa e transar com o primeiro cara que aparecer: Paulo.


SERVIÇO:
Texto: Arnaldo Jabor
Direção: Rosane Svartman e Lírio Ferreira
Elenco: Juliana Martins  e Sergio Marone
Local: Teatro Fashion Mall – Sala 2 - Estrada da Gávea 899, São Conrado, Shopping Fashion Mall –  Tel.: 2422 9800
Estreia: 9 de janeiro de 2015. Temporada até 1 de março de 2015 (recesso de um final de semana no Carnaval)
Horário: Sexta e Sábado às 21h30 / Domingo às 20h.
Ingresso: Sexta R$ 60,00 / Sábado e domingo R$ 70,00
Classificação: 16 anos          
Duração: 75 min.
Gênero: Comédia Dramática
Capacidade: 280 lugares.

FICHA TÉCNICA
Texto: Arnaldo Jabor
Direção: Rosane Svartman e Lírio ferreira
Elenco: Juliana Martins e Sergio Marone
Desenho de luz: Rogério Emerson
Cenografia: Fabiana Egrejas
Figurino: Márcia Tacsir
Produção executiva: Jorge Elali
Idealização e coordenação: Juliana Martins

Realização: Bubu Produções e Jorge Elali Produções



TEMPORADA PRORROGADA Musical “Constellation” terá sessões extras durante recesso de final de ano e temporada prorrogada até janeiro




Há um mês em cartaz no Teatro Vannucci, o musical “Constellation” se consagra como um grande sucesso de público com sessões lotadas. Devido a procura, a peça terá sessões extras durante o recesso de final de ano com apresentações dias 26, 27, 28, 29 e 30 de dezembro. Sexta e sábado às 21h30 / Domingo às 20h30 / Segunda e terça às 21h30. A temporada foi prorrogada até o dia 25 de janeiro.

O ano é 1955. O cenário, uma Copacabana que vivia sua época de ouro, encantando celebridades internacionais e lançando modismos que se espalhavam pelo País. Foi neste contexto que a Varig adquiriu a aeronave mais moderna que havia no mercado da aviação e inaugurou uma nova rota entre Rio de Janeiro e Nova Iorque. Surgia o Super Constellation G, um avião super luxuoso, que reduziu o tempo de voo de 72 horas para apenas 20 horas e influenciou diretamente nos hábitos locais. Este é o pano de fundo para o musical “Constellation”, dirigido por Jarbas Homem de Mello e escrito e idealizado por Cláudio Magnavita. Sob direção musical de Beatriz De Luca e coreografias de Vanessa Guillen, o público desfruta de um repertório de 16 canções clássicas americanas da década de 50 como “Only You”, “Blue Moon”, “Stand by Me”, entre outros sucessos. No elenco estão Andréa Veiga, Jullie, Lovie, Cleiton Morais, Daniel Cabral, Drayson Menezzes, Franco Kuster, Marcio Louzada e Ugo Capelli

- É o primeiro espetáculo que dirijo no Rio de Janeiro, depois de dirigir vários em São Paulo. É especial, pois a peça trata de uma época de muito romantismo, Copacabana vivia seu apogeu, as pessoas se arrumavam mesmo para ficarem em casa – diz Jarbas Homem de Mello.

Na peça, a atriz e cantora Jullie (participante do The Voice) dá vida à jovem Regina Lúcia que está na disputa por uma passagem para Nova York no voo inaugural do Super Constellation G em um concurso da Rádio Nacional, cuja final acontecerá no Golden Room Copacabana Palace. Ela divide um quarto e sala em Copacabana com a mãe - separada do marido - e Tia Maria da Penha, interpretada por Andréa Veiga, uma vedete do Cabaré Casablanca. As três representam o início de uma geração que viveu no ano de 1955 um boom imobiliário no bairro gerado por um encantamento que tornou o bairro na Zona Sul carioca desejado por milhares de pessoas. 

- A chegada do Constellation permitiu que a alta sociedade frequentasse a Big Aplle e isso trouxe uma grande influência musical. Ao mesmo tempo, Copacabana viu seus imóveis diminuírem de tamanhos e serem ocupados por jovens sonhadoras pela american away of life. Estamos produzindo um espetáculo musical de um autor nacional apenas com clássicos americanos – conta o produtor Frederico Reder, da Brainstorming Entretenimento.

Fruto de um extenso trabalho de pesquisa de Magnavita, “Constellation” narra o voo inaugural do avião Super Constellation G, um fato que gerou inúmeras matérias nos jornais da época e proporcionou momentos históricos, com personagens que se tornaram referência daquela geração. Jorginho Guinle, Carmen Mayrink Veiga, Martha Rocha, Ieda Maria Vargas e Pelé são alguns nomes que surgem ao longo do espetáculo para ilustrar esse momento tão rico da história brasileira.

- Por ser jornalista especializado em aviação percebi que este momento histórico precisava ser contado. Este foi o primeiro voo de longo curso da Varig e justamente no início do glamour do Rio de Janeiro. Como autor, fiz questão de manter distante do processo de criação da montagem, pois sabia que estava em boas mãos – diz Cláudio Magnavita, que além de produtor teatral atualmente ocupa o cargo de Secretário de Estado de Turismo do Rio de Janeiro.

Repertório:
Heaven on Earth (Buck Ram)
He’s Mine (Buck Ram)
My Prayer (G. Boulanger)
Blueberry Hill (Lewis / Stock / Rose)
Blue Moon (Richard Rodgers / Lorenz Hart)
When I Fall In Love (V. Young / E. Heyman)
Jambalaya (On The Bayou)
The Great Pretender (Buck Ram)
Donna (Ritchie Vallens)
Surfin’ USA (Chuck Berry / Brian Wilson)
Only You (A. Rand / Buck Ram)
Unchained Melody (A. North / H. Zareth)
Stand By Me (B. King / J. Leiber / M. Stoller)
Smoke Gets In Your Eyes  ( J. Kern / O. Harbach)
Unforgettable (I. Gordon)
Happy Day

FICHA TÉCNICA
Texto e Idelização: Cláudio Magnavita
Direção: Jarbas Homem de Mello
Direção Musical e Arranjos: Beatriz De Luca
Produção Geral: Frederico Reder
Coreógrafa e Diretora Assistente: Vanessa Guillen
Elenco: Andrea Veiga, Jullie, Lovie Elizabeth, Cleiton Morais, Daniel Cabral, Drayson Menezzes, Franco Kuster, Marcio Louzada, Ugo Capelli
Banda Constellation: Eduardo Henrique  (Band Leader e Piano),  André Barros (Guitarras, Violão e Banjo), Wagner Bispo (Contrabaixos Acústico e Elétrico), Edmar Germano (Bateria), Eduardo Henrique e Thalyson Rodrigues (Pianistas ensaiadores)
Comissários de Bordo/Elenco de apoio: Agatha Maria Kreisler, Douglas Teixeira, Luã Bregeron e Mariana Floriani
Cenógrafa: Natalia Lana
Figurino: Patrícia Muniz
Visagismo: Dicko Lorenzo
Desenho de Luz : Paulo César Medeiros
Desenho de Som: Fernando Fortes
Texto Off: Claudio Torres Gonzaga
Assistente de Cenografia: Marieta Spada
Assistente de Figurino: Patricia Delvaux
Assistente de Iluminação: Julio Medeiros
Assistente de Desenho de som: Leandro Lobo
Cenotecnico: Andre Salles
Criação de projeção: Thiago Stauffer | Studio Prime
Equipe Cenotécnica: Gilvan Silva, André Cruz, Walmir Júnior, Paulo Sá, Gilberto Kalkmann, Alberto Serralheiro
Direção de palco: Pedro Guedelha
Contra-regra: Fernando Queyroz
Costureira de cenário: Rosangela Lapas
Pintora de Arte: Naira Santana
Diretor de arte projeções: Felipe Menezes
Arte gráfica objetos de cena: Bárbara Lana
Agradecimentos de Cenografia: André Mizarela, Lucas Mansor, Juliana Reder
Montagem de Luz: Boy Jorge, Vilmar Olos, Leandro Meirelles, Lúcio Bragança |Art Light
Operador de Som: Andre Breda
Microfonista: Jorge Batista
Operação de Projeção: Flavia Belchior
Camareiros: Valter Rocha e Eliana Ruth
Equipe de Comunicação
Gestão de Comunicação: Mariana Reder
Comunicação e Marketing: Rodrigo Medeiros e Luana Ribeiro
Fotos e Projeto Gráfico: Milton Menezes | Lightfarm Brasil
Arte Finalista:  Ana Maria Suzart
Assessoria de Imprensa: Fábio Amaral | Minas de Ideias
Assistente de Fotografia: Gabriel Stefanini
Projeto 3D: Raphael Coppola
Equipe Brainstorming
BRAINS RJ: Alessandra Reis, Bianca Silva, Beth Chagas, Fernanda Goulart, Francis Rodrigues, Gabrielle Fontes, Natalino Werneck, Inez Pimenta, Jean Frazão , Lucas Mansor, Luiza Castro, Rita Reder. 
BRAINS SP: Andrea Prado, Anna Soares, Beto Marden, Daiane Carvalho, Felipe De Lima,Gherardo Franco, Ilana Pedreira, Maíra Freitas , Marcelo Dabanian , Marcos Paulo De Andrade , Pedro Caramori, Rodrigo Trabblod, Rosangela Capelari, Stephanie Baccain, Wellington Oliveira
Equipe de Produção
Direção de Produção Executiva: Alina Lyra
Produtora Assistente: Marcelle Nery
Produção de Cia: Luana Simões
Assistente de Produção: Izadora Schetter
Elaboração de Projeto: Elisa d'Abreu e Natália Simonete
Administração Financeira: Juliana Reder
Produção Executiva: Alkaparra Produções
Realização: Brainstorming Entretenimento

SERVIÇO
SESSÕES EXTRAS: 26, 27, 28, 29 e 30 de dezembro
Temporada até 25 de janeiro.
Horário:  Sexta e sábado às 21h30 /  Domingo às 20h30 / Segunda e terça às 21h30
Local: Teatro Vannucci – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea
Bilheteria (21) 2274-7246. Horário de funcionamento: Terça a domingo de 14h às 20h.
Preço: Sexta R$ 90,00 (inteira) / Sábado e Domingo R$ 100,00 (inteira) / Segunda e Terça R$ 100,00 (inteira)
Classificação: Livre.
Duração120 min.
Capacidade: 400 lugares
Gênero: Musical




Atenção! Desconto exclusivo Sete Artes e Dafiti! Use o código af0M2C nas suas compras em http://oferta.vc/617R e ganhe descontos exclusivos!






Até 10 de janeiro de 2015!




Pesquisar este blog

assine nossa newsletter!