Estão abertas as inscrições para Curso de Música de Câmara do Clube Paineiras do Morumby

Todos que participarem do curso sobre o compositorAntonio Vivaldireceberão ingressos para conferir um recital dos músicos DimosGoudaroulis e Guilherme de Camargo.

Estão abertas as inscrições para a lista de intenção do 2º Curso de Música de Câmaraque serão ministradas pelo violoncelista DimosGoudaroulis. As aulas abordarão de forma específica a vida e obra do genial compositor barroco,Antonio Vivaldi. Ao final do cursoos participantes receberão ingressos para assistirem um recital com a participação do músico Guilherme de Camargo, que toca cordas dedilhadas antigas (alaúde, teórba, guitarra dedilhada).


Antonio Vivaldi é, junto com J.S. Bach, o compositor mais famoso e amado do período barroco. Mas se a música de Bach é séria e profunda, a música de Vivaldi é extrovertida e exuberante, com um senso de melodia próprio à Veneza e ao estilo italiano do bel canto. Nas aulasserão analisadas a vida e a obra do compositor e no concertoserão apresentadas as maravilhosas Sonatas para violoncelo, exemplo característico de sua música de câmara.

Serviço
Valores:R$ 220,00 referente às 4 aulas e ingresso para o aluno e um acompanhante assistirem ao Recital de encerramento no dia 30/03.
Mínimo para abertura do curso: 20 alunos
Aulas:Dias 02, 11, 16 e 23 de março, das 19h às 20h30 no Clube Paineiras do Morumby
Endereço:Av. Doutro Alberto Penteado, 605 – Morumbi – SP
Recital de Encerramento: Dia 30 de março, às 20h30 com apresentação dos músicos DimosGoudaroulis e Guilherme de Camargo.
Lista de Intenção:Central de Atendimento– CAT, no telefone: 3779-2010

Sobre DimosGoudaroulis e Guilherme de Camargo

Numa formação camerística intimista e essencial, DimosGoudaroulis e Guilherme de Camargo formam um duo dedicado à pesquisa e interpretação da música dos séculos XVII e XVIII, tocando instrumentos de época diferentes, raros e um tanto exóticos – violoncelo barroco e violoncellopiccolo de 4 ou 5 cordas, alaúde, teorba, ou guitarra barroca.

Seu repertório, igualmente raro ou inédito, inclui compositores como Johann Sebastian Bach e seus filhos, Antonio Vivaldi e Francesco Geminiani, mas também apresenta a música maravilhosa e virtuosística dos grandes violoncelistas compositores da época – Domenico Gabrielli, Salvatore Lanzetti, Jean Baptiste Barrière, Jean Pierre Duport, Luigi Boccherini...

O duo, com sonoridade quente e delicada, busca percorrer de um jeito sistemático a história do violoncelo antigo, com seus vários tipos, tamanhos e afinações, desde suas primeiras aparições como solista na segunda metade do século XVII, até seu apogeu no final do século XVIII, passando pelos grandes centros europeus e sua produção musical característica – Itália, França, Alemanha, Inglaterra, Espanha...

Sobre DimosGoudaroulis
Violoncelista versátil e músico muito ativo, DimosGoudaroulis transita brilhantemente por estilos musicais diferentes e se apresenta tanto com instrumentos modernos quanto com instrumentos de época. Convidado a participar de inúmeros concertos, turnês e gravações, tem colaborado com importantes músicos e grupos de música erudita e popular no mundo – de Lee Konitz e Max Roach a Hermeto Pascoal e Egberto Gismonti, de Ricardo Kanji e Luís Otávio Santos a Nicolau de Figueiredo e ViktoriaMullova.

Nascido em 1970 na Grécia, estudou violoncelo em Thessalônica e depois em Paris, com Philippe Muller e Reine Flachot. Lá, começou a tocar jazz e música improvisada, explorando novas possibilidades e criando uma linguagem original para o instrumento. Em 1996 mudou-se para o Brasil. Desde então, dedica-se à interpretação historicamente orientada da música antiga, pesquisando e divulgando o repertório violoncelístico dos períodos barroco e clássico e trabalhando com músicos e grupos especializados. Paralelamente, apresenta-se como solista com várias orquestras, toca música contemporânea e música brasileira.

Em Setembro de 2003 recebeu o Prêmio Carlos Gomes de “melhor solista”; em 2008, sua gravação das 3 primeiras Suítes para violoncelo solo de J.S. Bach ganhou o importante Prêmio Bravo-Prime de Cultura, como “melhor cd de música erudita” do ano; como membro da Camerata Aberta, grupo especializado em música contemporânea, recebeu em 2010 o Prêmio APCA.

Em 2010 Dimos gravou, junto com Nicolau de Figueiredo ao cravo, o álbum duplo “O tenor perdido”, com a primeira gravação mundial de obras para violoncellopiccolo de 4 cordas, e em 2011 lançou a integral das 6 Suites a Violoncello Solo de Bach – dois trabalhos elogiadíssimos pela crítica. Em 2012 concebeu e dirigiu o espetáculo “Logos – Diálogos/6 Suítes para violoncelo solo e dança de J.S.Bach”, colaborando com 6 dos maiores coreógrafos contemporâneos brasileiros: Ismael Ivo, Deborah Colker, Henrique Rodovalho, LuisArrieta, Tíndaro Silvano e Jorge Garcia.

DimosGoudaroulis se apresenta regularmente em vários países da Europa, América Latina, Estados Unidos e Canadá.

Sobre Guilherme de Camargo

É doutorando, mestre em musicologia e bacharel em música pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Aperfeiçoou seus estudos de violão com EdeltonGloeden e, em 1992 viajou à Holanda onde, por dois anos, teve aulas com Hein Sanderinck (HOL) e Jorge Oraison (URU), especializando-se nas cordas dedilhadas antigas desde então. Participou também de diversas masterclasses, das quais destacam-se as realizadas com Abel Carlevaro, Francisco Gato e Hopkinson Smith.
Participou, como instrumentista e arranjador, da gravação de uma série de CDs e vídeos em comemoração aos 500 anos do Brasil, sob a direção do maestro Ricardo Kanji, com quem realizou concertos em Portugal por ocasião das “Jornadas Gulbenkian de Música Antiga”, um dos mais representativos eventos europeus do gênero e com quem gravou pela Paulus, um CD de choros em instrumentos barrocos, lançado em 2004. Em 2001, teve ativa presença na 1ª Semana de Música Antiga de São Paulo, estreando seu recital solo “350 Anos de Cordas Dedilhadas”, um panorama da música para alaúdes e guitarras e atuou, em fevereiro de 2002, como teorbista, no espetáculo “Barroco!”, realizado no Centro Cultural do Banco do Brasil (São Paulo), com nova temporada em Brasília, em março de 2003. Participou, junto à OSESP, das montagens da “Paixão Segundo São João”, de Bach, da “Barca de Venezia per Padova”, de Banchieri, da ópera Dido e Enéas, de Purcell, e do “Vespro de la Beata Vergine”, de Monteverdi. Junto à OSUSP, das “Quatro Estações”, de Vivaldi e com a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo da montagem do Orfeu de Monteverdi. Em maio de 2004, viajou, como convidado do grupo uruguaio De Profundis, para a Bolívia, para uma série de concertos dentro da programação do V Festival Internacional de Música Renascentista Y Barroca Americana “Missiones de Chiquitos”. Gravou em 2005 dois CDs dedicados às modinhas e lundus, lançados na França e no Brasil. Durante julho e agosto do mesmo ano participou da montagem da ópera barroca “Don Quixote Chez laDuchesse”, no Centro Cultural do Banco do Brasil no Rio de Janeiro. Em 2006 gravou pela Paulus o Cd “Velho Mundo Novo”, com o trio instrumental “Novo Ovo Novo”, produzido por André Mehmari.
Foi professor, de 2007 a 2011, da Oficina de Música de Curitiba, realizada em janeiro de cada ano e é professor da cadeira de alaúde, guitarra barroca e teorba da Emesp – São Paulo. Leciona alaúde no Festival Internacional de Música em Juiz de Fora, desde 2008. Em 2012 foi professor do Curso Internacional de Música de Brasília, e realizou um recital junto a soprano Marília Vargas, no Helsinki Music Center, na Finlândia, e no Festival “FestesBaroques”, em Bordeaux, na França. Também com a soprano gravou e arranjou o cd Tempo Breve que Passaste, modinhas brasileiras. Tem realizado recitais solo em todo o Brasil.

Sobre o Clube Paineiras do Morumby
Desde 1960 formando atletas e consolidando amizades
Fundado em agosto de 1960, o Clube Paineiras do Morumby ocupa hoje uma área de quase 120 mil metros quadrados e tem o privilégio de possuir uma reserva de vegetação nativa no bairro do Morumbi.
Para atender o seu quadro associativo de aproximadamente 24 mil pessoas, o Paineiras conta com instalações de ponta, e se orgulha por ser um Clube inclusivo e acessível. Um complexo esportivo com sete piscinas aquecidas, três ginásios poliesportivos, treze quadras de tênis piso saibro, duas quadras de tênis piso rápido, cinco quadras de squash, quatro quadras de peteca, quadra de areia, campo de society, campo de futebol, pista de atletismo e fitness completo fazem parte dessa gigantesca estrutura de entretenimento. E ainda, a Escola de Esportes, que oferece mais de 40 cursos de formação e educação esportiva.

A qualidade de vida é um diferencial no Paineiras. Segurança, estacionamento amplo, centro médico, restaurantes, lanchonetes, SPA, barbearia, cabeleireiro, escola de idiomas, centro de conveniência, biblioteca, playground, brinquedoteca, cineteatro, cursos culturais para jovens, adultos e crianças completam a programação sociocultural e formam um completo conjunto de serviços e opções de lazer para proporcionar comodidade e bem-estar para toda a família paineirense.

Fonte: EccoPress



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog

assine nossa newsletter!