Prêmio Marcantonio Vilaça anuncia vencedores

A 5ª edição do Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas acontecerá no próximo dia 24 de abril, no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC USP), em São Paulo, a partir das 19h30.

O Prêmio visa aproximar, de maneira democrática, a arte, a cultura e o conhecimento.

Na ocasião, serão anunciados os nomes dos vencedores – cinco artistas, que receberão R$ 40 mil cada um, e dois curadores, que terão direito a R$ 20 mil cada. Além disso, um artista e um curador receberão bolsa-residência na Manchester Metropolitan University.

A parceria com a universidade apoiará novas pesquisas e permitirá a geração de conhecimento, elementos fundamentais para estreitar as relações da arte com a indústria, ao atender as exigências do mundo contemporâneo e estimular a inovação e a criatividade.

“O Prêmio Marcantonio Vilaça é a iniciativa de maior ressonância e intensidade para o setor das artes plásticas no Brasil. Tem por objetivo reforçar a importância das práticas de pesquisa e experimentação por meio da arte na formação das novas gerações. A circulação das mostras por outras dez cidades brasileiras determina a dimensão do projeto em seu caráter abrangente e nacional”, afirma o curador do prêmio Marcus Lontra. As exposições itinerantes contarão com um projeto educativo de amplo alcance.

Pela primeira vez, o prêmio Marcantonio Vilaça apresentará uma Mostra Coletiva, reunindo obras dos 30 artistas selecionados que acontecerá no Museu de Arte Contemporânea (MAC) de São Paulo, e estará aberta ao público, gratuitamente, de 25 de abril a 6 de dezembro de 2015.

Arte & Indústria - Amelia Toledo

O Prêmio Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas também organiza a 2ª edição do projeto “Matérias do Mundo: Arte & Indústria”, que tem por objetivo acentuar as relações entre os processos de criação artística e produção industrial, no mezanino do MAC/USP.

Nesta edição, será homenageada, em uma sala especial, a artista brasileira Amelia Toledo. Em sua trajetória profissional, ela trabalhou, pesquisou e valorizou não apenas materiais extraídos da natureza, mas também aqueles que, a partir de procedimentos manufaturados, permitem a ampliação da tecnologia e da criatividade humana. 

Amelia trabalha com placas metálicas, resinas plásticas, PVC, matérias têxteis, vidros e uma série de materiais industrializados que dialogam em harmonia com areias, conchas, pedras e madeiras. 

A curadoria convidou também artistas de relevância no cenário artístico nacional, com obras que dialogam com o trabalho de Amelia Toledo. O resultado é uma exposição vibrante, composta por trabalhos de impacto visual que revelam ousadia e liberdade.

O Prêmio Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas é uma iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Em suas últimas quatro edições, o evento premiou 20 artistas com bolsas de trabalho para produzir obras que foram expostas em todo o Brasil.

Participantes

Os artistas pré-selecionados para a 5ª edição do prêmio são: Alvaro Seixas (RJ), Barbara Wagner (PE), Berna Reale (PA), Beto Shwafaty (SP), Cinthia Marcelle (MG), Cristiano Lenhardt (RS/PE), Daniel Acosta (RS), Floriano Romano (RJ), Gê Orthof (DF), Grupo EmpreZa (GO), Jorge Menna Barreto (RS/SC), Laís Myrrha (MG/SP), Lia Chaia (SP), Lourival Cuquinha (PE), Mabe Bethonico (MG), Marcelo Moscheta (PR/SP), Marco Paulo Rolla (MG), Milton Marques (DF), Nicolás Robbio (SP), Nydia Negromonte (MG), Otavio Schipper (RJ), OPAVIVARÁ! (RJ), Paulo Nazareth (MG), Raquel Stolf (SC), Reginaldo Pereira (SP), Rodrigo Braga (AM/PE/RJ), Thiago Martins de Melo (MA/SP), Vitor Cesar (CE/SP), Virginia de Medeiros (BA/SP) e Waléria Américo (CE).

Os curadores pré-selecionados são: Divino Sobral (GO), Douglas de Freitas (SP), Kamilla Nunes (SC), Orlando Maneschy (PA), Raphael Fonseca (RJ) e Renan Araújo (SP).

Marcantonio Vilaça

Marcantonio Vilaça, personalidade que dá nome ao prêmio, nasceu em Recife-PE, em 30 de agosto de 1962. Formado em Direito, nos anos 1970, ele adquiriu a sua primeira obra de arte, uma xilogravura do mestre pernambucano Gilvan Samico. A última foi o vídeo Dream, do artista inglês Hadrian Pigott, adquirida em 1999.

Em 1990, esteve à frente da galeria Pasargada Arte Contemporânea, em Recife, fundada com a irmã Taciana Cecília Vilaça Bezerra, que exibia, fora do eixo Rio-São Paulo, os bem-sucedidos nomes da geração 80 das artes plásticas brasileiras.

Em 1992, inaugurou em São Paulo a galeria Camargo Vilaça, com a sócia Karla Meneghel, que acabou se tornando a mais importante referência para a arte brasileira nos anos 1990. 

Com ela, Marcantonio promoveu a projeção internacional da arte contemporânea brasileira. Segundo o crítico e curador Paulo Herkenhoff, Marcantonio era "a voz mais autorizada do mercado de arte da América Latina”.

Marcantonio Vilaça morreu precocemente no dia 1º de janeiro de 2000, aos 37 anos de idade, em Recife. Como reconhecimento aos inestimáveis serviços prestados à cultura, o governo brasileiro outorgou-lhe (post mortem) a mais alta condecoração do país, a Ordem do Rio Branco. 

Serviço:

5ª Edição do Prêmio 
CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas


Data: 24 de abril de 2015
Local: Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo 

Programação
19h30 – Visita Guiada com o Curador
20h – Abertura das Exposições
20h30 – Anúncio dos Vencedores da 5ª Edição

Endereço: Avenida Pedro Álvares Cabral, 1301 – Parque Ibirapuera, antigo prédio do Detran – São Paulo

Texto: ExLibris


  • Aproveite a oferta exclusiva do Hotel Urbano para o Rock In Rio 2015!



  • Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    Pesquisar este blog

    assine nossa newsletter!