Pular para o conteúdo principal

Música/ História

Hoje é dia de Rock!


13 de julho chegou! A data conhecida como Dia Internacional do Rock celebra hoje 25 anos de existência. Foi exatamente nesse dia que Bob Geldof organizou o show beneficiente Live Aid visando o fim da fome na Etiópia. O evento aconteceu em Londres na Inglaterra e na Filadélfia nos Estados Unidos. The Who, Status Quo, Led Zeppelin, Dire Straits, Madonna, Queen, Joan Baez, David Bowie, BB King, Mick Jagger, Sting, U2, Paul McCartney, Phil Collins, Eric Clapton e Black Sabbath participaram do show.

Embora tenha surgido no fim da década de 40, foi em 1960 que o ritmo se espalhou pelo mundo. Graças, principalmente, as canções dos Beatles, dos Rolling Stones, de Janis Joplin e de Jimi Hendrix. A partir desse "ponta-pé" inicial, o Rock - que se originou da fusão entre blues, country e R&B - evoluiu e foi subdividido em novos subgêneros, como folk rock, blues-rock, heavy metal, rock progressivo, punk rock, hard rock e glam rock. Leia mais sobre a história do Rock aqui.

Para comemorar a data o Sete Artes preparou uma entrevista com o vocalista da banda carioca Bleffe. Com oito anos de carreira, o grupo é atualmente um dos mais bem sucedidos no cenário independente do Rio. Christian Garcia (voz - violão), Alex Borges (guitarra - vocais), Cristiano Cokada (bateria - vocais) e Dan Lucasta (baixo) sobem aos palcos com músicas autorais e releituras de grandes sucessos do pop-rock e da MPB. Confira a íntegra da entrevista abaixo.


Christian Garcia (A frente de blusa clara) foi entrevistado por e-mail

Imagem: Reprodução de Internet

Sete Artes: Como vocês veem o rock nacional atualmente? Devido ao surgimento de novas bandas com uma sonoridade diferente, mais próxima ao pop.

Christian Garcia: "Existem milhares de alternativas, né? E isso é muito bom na nossa visão. Quanto mais gente tiver fazendo rock, melhor... Respeitamos todas as vertentes de todos os estilos, e torcemos pra que sobre um espacinho pra gente também." (risos)

Sete Artes: Quais as maiores dificuldades para uma banda se manter no mercado atualmente?

Christian Garcia: "Definitivamente espaço pra tocar. Hoje em dia na maioria dos casos você pagar pra tocar, o que é um absurdo!!! Numa indústria que gera milhões de Reais por ano, temos que receber..."

Sete Artes: Qual o maior obstáculo para entrar no mercado fonográfico?

Christian Garcia: "Hoje a concorrência é muito maior, com o barateamento de custos de gravação. Mas cada vez mais as bandas independentes têm conseguido "cuidar de si mesmas". Hoje em dia é necessário entender mais da gestão. A figura do empresário anda um tanto "apagada"."

Sete Artes: A internet tem ajudado? Como é a relação de vocês com as novas mídias e redes sociais?

Christian Garcia:  "Muito!! nossa relação com a redes e novas mídias é de muito amor e carinho(risos). Desde 2005 atuamos na Internet, e muitos passos que demos na nossa carreira vem sendo dados por conta de contatos feitos por aqui. Um exemplo é essa entrevista..."

Sete Artes: Quais as expectativas em relação ao Prêmio Multishow 2010?

Christian Garcia: "É muito difícil conseguir chegar à final. as bandas "emo" têm um fã-clube fiel e atuante. Mas continuamos correndo atras..Vote lá em "Experimente"."

Sete Artes: Em relação ao projeto Rio Unido, como surgiu a ideia e quais os resultados já obtidos?

Christian Garcia: "A idéia foi minha. Eu postei no Twitter que tinha vontade de fazer um show de bandas independentes pra ajudar às vítimas. Apareceram mais de 160 voluntários e acabamos fazendo 5 shows!!! Conseguimos cerca de 300kg de doações diversas. A intenção é continuar com o movimento. Breve deveremos ter novidades."

Sete Artes: Qual o maior sonho da banda?

Christian Garcia: "Bom...são sonhos. Um deles vem sendo realizado dia a dia, quando mostramos nosso som e as pessoas gostam. É, de verdade, uma satisfação. O outro é poder ir aos lugares onde essas pessoas que curtem moram, e tocar ao vivo pra elas. No palco é que nos sentimos melhor. E estar ali, junto das pessoas, antes e depois de cada show, é demais. Não tem nada que pague essa troca de energia."

Sete Artes: Qual o projeto que estão envolvidos no momento?

Christian Garcia: "No momento aprontando o repertório, e preparando música nova. Posso adiantar o nome: "Cai". "

Sete Artes: Qual a opinião em relação ao futuro da indústria fonográfica?
Christian Garcia: "A Internet chegou e mudou todo o parâmetro que existia. Ainda há muito a ser explorado, mas já existem estudos minuciosos sendo realizados, o Ministério da Cultura têm se aproximado de entidades comprometidas com a adequação da Internet na realidade do brasileiro. Então eu acredito que muito antes do que imaginamos já teremos um caminho legal pra indústria fonográfica continuar mostrando os talentos musicais pro Brasil todo. Mas uma coisa não pode ser esquecida: quem decide é o fã!! Ele vai ter o poder nas mãos. Cada dia mais os fãs tem tido consciência e discernimento pra ouvir o que quiserem, e não aceitarem o que é "empurrado" pra eles."

Sete Artes:  Qual conselho dão aos jovens que tem uma banda e querem entrar no mercado?

Christian Garcia: "Estudem!! Consigam uma profissão em paralelo. A carreira musical está cada vez mais difícil e pagando menos. E, em relação à música, ensaiem, corram atrás dos contatos, estejam nos lugares, interajam com outras bandas...é fundamental."

Sete Artes: O que é melhor: grande mercado ou cena independente? Por quê?

Christian Garcia: "Cada "lado" tem seus prós e contras. Acho que tudo depende do momento. Nosso momento é o da cena independente. Estamos tendo alegrias e tristezas. Com certeza quem está "do outro lado" tem problemas e alegrias também."

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…