Pular para o conteúdo principal

Programação


Esta exposição conta com 30 artistas, todos estudantes da Escola de Belas Artes, oriundos de diversos cursos. Aberta de terça a domingo, de 14h às 20h. Informações: 25981651.

ATIVIDADES PARALELAS

TERÇAS-FEIRAS, sempre às 17:30h:
...
Cinema expandido – Curadoria de Michelle Sales
Exibição de vídeos, seguida de apresentação do próprio artista e debate com a platéia
22/11 – Vicente Duque Estrada e Jorge Cruz

29/11 – Rúbia Mércia, Alpendre Casa de Arte e Ceará


QUARTAS-FEIRAS, sempre às 17:30h:

Palestras (COM) TRADIÇÃO
09/11 – Utopias contemporâneas
Reflexão sobre as questões estéticas e políticas colocadas no período do Modernismo teatral no Brasil e o contexto atual, marcado por uma nova crise do capitalismo e pela emergência de novas formas de pensar a relação entre arte e política. Neste sentido, serão observadas as formas de permanência de alguns conceitos modernistas, como a Utopia e a Antropofagia.
Com GILSON MOTTA. Pesquisador em teatro, professor adjunto, membro do Coletivo de Performance Heróis do Cotidiano. Autor do livro “O espaço da tragédia”, publicado pela Pers-pectiva.

16/11 – Artes Visuais: Ensino de Arte na Graduação
Apresenta o novo curso de graduação da Escola de Belas Artes, visa levantar pontos de discussão nas formas de abordar o ensino de arte em nível de terceiro grau.
Com SIMONE MICHELIN. Artista, pesquisadora, professora de artes e coordenadora do curso de Artes Visu-ais da EBA/UFRJ. É representada pela galeria A Gentil Carioca.

23/11 – (Com)tradição e (com)vanguarda: novas leituras sobre a AIBA e EBA
Reflexão sobre a contribuição fundamental da criação da Academia Imperial de Belas Artes, no Rio, em 1816. A vinda da Missão Francesa formou um sistema de arte no Brasil, o mais a-vançado para a época: a união entre as Belas Artes, os Ofícios e um programa de pensionato artístico com os Prêmios de Viagem. Esse sistema de arte – ensino, produção artística, crítica de arte e museus – se mantém atualizado na Escola de Belas Artes/UFRJ até os dias de hoje.
Com VLADIMIR MACHADO. Pintor e professor Adjunto de pintura na EBA/UFRJ. Autor da tese de doutorado “Do esboço pictórico às rotundas dos Dioramas: a fotografia na pintura de batalhas de Pedro Américo”, FFLCH-USP, 2002.

30/11 – Arte, visualidade e poder: (des)conexões
Análise das atuais relações entre arte e poder, com ênfase nas diferentes reações estéticas aos atuais imperativos de conexão da sociedade global. Um processo inseparável dos novos arranjos sensoriais produzidos por aparatos midiáticos, cujos mecanismos formam a base (bi-o)política da denominada “sociedade do espetáculo” ou “de controle”.
Com TADEU CAPISTRANO. Professor Adjunto do Departamento de Teoria e História da Arte e do PPGAV/UFRJ, onde desenvolve pesquisas sobre a teoria da imagem e seus campos afins.


QUINTAS-FEIRAS, sempre às 19h:

Quintas Musicais – DUOS – Curadoria de José Mauro Albino

10/11– DUO PINHO BRASIL
Fábio Neves (violão de 8 cordas e a viola caipira) e Márcio Valongo (bateria)
Apresentação de obras de compositores nacionais.

17/11– DUO TONINHO DUARTE E RUDÁ BRAUNS
Toninho (violão) e Rudá(bandolim). Composições de grandes mestres da música brasileira como Ernesto Nazareth, Pixinguinha, João Pernambuco e Jacob do Bandolim

24/11– DUO FLORA MILITO E PEDRO FRANCO
Flora Milito (percussão) e Pedro Franco (violão).Repertório eclético: choro, samba, jazz e da música instrumental regional

01/12 – PROSA DE VIOLAS
Eduardo Machado e Fábio Neves (viola caipira e viola de cocho). Obras do cancioneiro tradicional e popular brasileiro e peças instrumentais, em que se misturam as linguagens rural e urbana dos instrumentos,

08/12 – DUO CANCIONÂNCIAS
Manuela Camargo (voz) e Cyro Delvizio (violão). Obras de grandes compositores brasileiros como Carlos Gomes, Nepomuceno, Villa-Lobos.

15/12 – BALLESTE/NICOLSKY DUO
Gabriel Ballesté (guitarra) e Iuri Nicolsky (saxofone). Jazz e música instrumental brasileira: John Coltrane a Pixinguinha, de Miles Davis a Baden Powell.


OUTROS EVENTOS

26 e 27/11
PERFORMANCES – Curadoria de Ronald Duarte

Série de intervenções com o objetivo de provocar uma reflexão sobre a vida urbana. Acontecerá na rua em frente à Casa de Cultura Prof. Almir Paredes. A cidade, seus ruídos, a deso-rientação, a identidade, o monitoramento, exercido pelo poder, a capacidade de reagir e o humor são motes para a realização dessas performances.

Artistas convidados:
Ronald Duarte
Romano
Mary Fê
Pontogor e Abel Duarte
Claudio Cambra
Ao leo
Jarbas e Cabelo

27/11
Palestra com DANIELA LABRA
Performance como prática artística dentro e fora do Museu. Relato da experiência curatorial do festival nacional Performance Arte Brasil, ocorrido no MAM Rio em março de 2011. Reflete a relação entre as práticas per-formáticas nas artes visuais e o meio institucional brasileiro, além de lançar um olhar crítico sobre esse tipo de produção artística no país.

Daniela Labra é curadora e crítica de arte, doutoranda em História e Crítica de Arte pelo PPGAV/EBA-UFRJ. Atuando desde 2003, já realizou mais de 20 mostras e festivais, entre eles: Festival Performance Arte Brasil, MAM RJ, 2011; Performance Presente Futuro, Oi Futuro, RJ, 2008-2010; VERBO, Galeria Vermelho, SP, 2005-2007; Investigações Pictóri-cas, MAC Niterói, RJ,2009; Publicou a série Performance Presente Futuro, 2009-2011, Col. arte e tecnologia/Oi Futuro, e é autora do livro Wanda Pimentel, MAC Niterói, 2010. Vive no Rio de Janeiro. Site: www.artesquema.com

07 e 08/12
II ENCONTRO DE HISTÓRIA DA ARTE E I ENCONTRO DE CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO: AS NOVAS FRONTEIRAS DO ENSINO E DA PESQUISA
Congrega profissionais ligados aos campos da História da Arte e Conservação e Restauração, incluindo-se professores e alunos de cursos de graduação e pós-graduação, pesquisadores, profissionais de museus, arquivos, bibliotecas, serviços de patrimônio, centros culturais e outras instituições afins.

09, 10 e 11/12
MOSTRA NACIONAL DE VIDEOARTE – Curadoria de Michelle Sales e Rogério Medeiros
A ênfase da mostra está em exibir, no formato de curta-metragem, materiais audiovisuais que se encaixem nas categorias: videoarte, videodança, videoclipe e ou linguagens híbridas entre o cinema e o vídeo, com a duração de até 20 minutos.
Artistas convidados:
André Parente, Milena Travassos, Vicente Duque Estrada, Alexandre Veras, entre outros

16/12 às 18h
Lançamento do catálogo da III BIENAL DA ESCOLA DE BELAS ARTES

Nomes dos artistas:
ALEXANDRE MARTINS , ANDERSON DIAS , BARACHO, BÁRBARA BOAVENTURA FRIAÇA, BEATRIZ CAVALCANTI , CAMILA LUÍSA CARRELLO, CASSIA LYRIO, CHICA NETTO, DANIEL GABRIELLI, DIEGO GUERRA , FREDERICO ARÊDE, GUILHERME DELGADO, IGOR SPELLMEIER , JANE TEIXEIRA , JESSICA KLOOSTERMAN, JESSICA DEPOVOÁ , JOANA JARDIM , JOÃO DE ALBUQUERQUE, JULIA FURTADO MARTINO, JULIA SCHMIDT, KATIA SANTOS, LEXX LEGG, LUISA VIDAL, PRISCILLA ALMEIDA, RANNY VIDAL , RENATO GOMES SHAMÁ DOS SANTOS , TÉO SENNA , THAÍS SPÍNOLA , WILLIAM ANSELMO
*Texto: Divulgação/ Facebook
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…