Pular para o conteúdo principal

Perfil/ Jorge Matheus


Jorge Matheus: em busca de novos horizontes

por chandra santos


A relação do artista plástico carioca Jorge Matheus, 43 anos, com a arte é antiga e constituída por muitas idas e vindas. Formado em gravura pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 1991, ele resolveu trocar de área e estudar Desenho Gráfico no SENAI depois de algumas decepções: "Na minha época de universidade percebi que para conseguir algo as pessoas faziam de tudo, principalmente ser os favoritos dos professores. Percebi também que no mundo das artes uma assinatura valia muito mais que a própria arte. Fiquei decepcionado e entrei de cabeça no desenho gráfico. Desenho desde pequeno e sempre amei o meu trabalho, mas também sei que "sou uma formiga" no meio de grandes nomes", frisa.

Obra de Jorge Matheus

Jorge trabalhou durante muitos anos na área de publicidade no Rio de Janeiro e em 2000 mudou-se para Paris para estudar francês. "Deixei o Brasil buscando algo melhor e pensando que poderia encontrar um lugar no qual o meu trabalho seria valorizado. Morei em uma casa para estudantes de vários países e foi quando senti o peso de estar fora e ter o mundo aberto, mas com um tremendo medo", relembra o artista que na mesma época começou a trabalhar em uma agência de Marketing Direto, perto da Euro Disney.

Obra de Jorge Mathe
Apesar da felicidade de está rodeado por arte na capital francesa, a vida era cara e o artista percebeu a necessidade de mudar de ambiente. Foi então para a Madri, Espanha, em 2003, onde reside até hoje. "Trabalhei em uma editora, preparando revistas, livros, ilustrações. Algumas vezes pintando em casa. A falta de espaço, tempo e dinheiro me fez deixar a arte para outro momento", lamenta o artista.

Durante esse tempo, Jorge encontrou na fotografia um hobby e uma arte. "Quando comprei a minha câmera fotográfica percebi que Madri está cheia de beleza, mas que quase ninguém conhece. Em muitos edifícios há esculturas, detalhes que as pessoas passam mas nao param para observar, pela falta de tempo. Isso me fez dedicar mais tempo para fotografar a cidade e foi quando senti a necessidade de voltar a gravar", explica Jorge que há um ano retornou ao ofício da pintura em um atelier.

Obra de Jorge Matheus

Planos para o futuro, ele tem vários. Quer expor no Brasil, ilustrar livros infantis, expor seu trabalho em galerias espanholas. E não desanima quando recebe respostas negativas, pois sabe que as oportunidades aparecem em todos os lugares. "Estou sendo convidado para participar de exposiçoes em outros países como Holanda, Bélgica, Luxemburgo e França. No ano passado participei de uma em Paris com vários brasileiros e no dia 12 de abril estarei novamente na capital francesa para outra exposiçao sobre os indígenas brasileiros. Levarei 4 gravuras", enumera o artista revelando que gosta de pintar suas telas com os dedos, sem usar pincéis e, também, mesclar técnicas como a fotografia, pintura e colagem.

Quer conhecer mais sobre o artista? Clique aqui e aqui.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…