Pular para o conteúdo principal

Programação/ Festival de Inverno de Petrópolis


PETRÓPOLIS ACOLHE 0 12º.FESTIVAL DE INVERNO DA DELL’ARTE
COM PROGRAMAÇÃO PRIMOROSA*

Programação (Clique para ampliar)

*Texto: Divulgação/ Assessoria de Imprensa 
        
A ópera Così Fan Tutte, o balé Don Quixote, o sexteto argentino Escalandrum com o show Piazzola Plays Piazzolla, liderado pelo baterista Daniel "Pipi" Piazzolla, neto do grande Astor Piazzolla, e a peça infantil Barbeiro de Ervilha são algumas das atrações que acontecerão em espaços culturais da cidade serrana 

A 12º edição do Festival de Inverno de Petrópolis começa oficialmente, este ano, no dia 6 de julho e vai até o dia 15 de julho com programação imperdível. 

A Dell’Arte Soluções Culturais – pioneira na implantação de eventos deste porte no Estado do Rio de Janeiro – a Stretto Eventos e Serviços Artísticos e a Sociedade Artística Villa-Lobos - levarão para a região grandes expoentes brasileiros e estrangeiros da música clássica e barroca, ópera, jazz, mpb, corais, teatro, palestras, programação infantil, cinema, balé, além de jovens e promissores talentos, com ênfase na música clássica. 

A presidente da Dell’Arte, Myrian Dauelsberg orgulha-se do festival e diz se sentir «muito honrada por ter recebido este ano o Prêmio Maestro Guerra Peixe, em Petrópolis, por Notório Reconhecimento». E acrescenta: «Mais do que nunca tenho o compromisso e, consequentemente, a responsabilidade de apresentar um festival de qualidade, o que a Dell'Arte vem fazendo questão de por em prática durante todos esses anos». 

Mantendo a tradição, a Abertura de Gala acontecerá na Catedral São Pedro de Alcântara, no dia 6 de julho, às 20h, com a apresentação inédita do jovem premiado organista alemão Christian Shimitt que será acompanhado pelo famoso Coral dos Canarinhos de Petrópolis, em participação especial. Shimitt é atualmente o organista oficial da capela de Freiburg, na Alemanha. O Coral dos Canarinhos de Petrópolis, com quase 70 anos de existência, terá regência do maestro Marco Aurélio Lischt, ex-canarinho e a frente do grupo há mais de dez anos. 

Durante o evento, que será realizado em locais diferentes de Petrópolis, o público terá a aportunidade de assistir a dezenas de apresentações musicais e artísticas, a exemplo de Jorge Aragão, no dia 6 de julho; do balé Don Quixote, de Miguel de Cervantes, com a Cia Brasileira de Ballet, adaptado por Jorge Texera com coreografia de Márius Petipá trazendo algumas das cenas mais vibrantes e envolventes do 1º e 3º ato do balé completo, no dia 7 de julho; da peça infanto-juvenil sucesso de público e críticas, Barbeiro de Ervilha, com direção de Daniel Herz e adaptação de Vanessa Dantas, uma comédia musical, adaptada da ópera cômica italiana “O Barbeiro de Sevilha”, de Gioacchino Rossini com libreto de Cesare Sterbini, no dia 8 de julho; da Música Barroca com o conjunto Quadro Antiquo no dia 11 de julho; no dia 13 de julho do sexteto argentino Escalandrum, liderado pelo baterista Daniel Piazzolla, neto do grande Astor Piazzolla, que apresenta-se em comemoração ao ano Piazzola, e da importantíssima ópera bufa Così Fan Tutte, de Wolfgang Amadeus Mozart, no dia 14 de julho, com orquestra tocando no fosso do Theatro D. Pedro, um espetáculo que contará com a participação de 12 solistas, coro e orquestra sinfônica da UFRJ. 

Outras atrações que valem a pena ser conferidas são as que acontecerão no Palácio de Cristal: o Cristal Jazz, como o próprio nome diz, trará o melhor do jazz, como a cantora carioca Taryn, em um Tributo às Divas do Jazz, com o show intitulado Negro Blue, dia 11 de julho. Suas interpretações vigorosas vão desde o jazz, blues, soul, até o rock´n roll e a MPB. Outro show imperdível é o da cantora holandesa Martie Rikhof com Marco Amorim Trio, dia 13 de julho. 

Os concertos à Luz de Velas, que acontecerão na maravilhosa Sala da Batalha no Museu Imperial, sempre às 18h, também estão entre as relevantes atividades. No dia 7 julho, entram em cena o pianista Sérgio Monteiro e a violonista Gabriela Queiroz. Sérgio foi convidado para tocar na abertura do Festival Martha Argerich com a Filarmônica de Buenos Aires conduzida por Charles Dutoit, onde foi ovacionado durante 20 minutos no Teatro Colón. No dia 13 é a vez dos impressionantes Nicolas Koeckert, no violino (Brasil-Alemanha) e Kristina Miller, no piano (Rússia). Alemão-brasileiro, Nicolas, desde setembro de 2011 é professor de violino do Konservatorium Wien Privatuniversität na Áustria. Kristina ganhou vários prêmios e venceu concursos, incluindo o Concurso Internacional de piano de Berlim e da competição Internacional St. Petersburg. No Dia 14 o fenômeno da web John Blanch Trio, liderado pelo pianista John Blanch, entra em cena. Blanch terminou seu primeiro ano no Conservatório de Paris com altas honras de um júri unânime. 

Para quem curte novos sons e tem curiosidade em saber que bandas despontam no atual cenário musical, a dica é ir até o Theatro D. Pedro e assistir - ao lado de fora - os espetáculos em sua escadaria. Os shows prometem fazer o público dançar e se esquentar nas noites frias do inverno de Petrópolis. No dia 7 de julho, quem inaugura os degraus no festival deste ano é o grupo JPG - liderado pelo vocalista e guitarrista João Ramalho, filho de dois grandes da música brasileira, o cantor e compositor Zé Ramalho e Amelinha. As músicas são executadas por apenas dois violões e um instrumento percussivo ímpar, chamado cajón. No dia seguinte, 8 de julho, o quinteto carioca Nova Lapa Jazz pretende democratizar o jazz na rua. No dia 13 de julho, a genial Orquestra Voadora, que ganhou vida a partir do encontro de músicos do carnaval de rua do Rio, vai combinar ritmos, estilos e timbres, numa músicalidade espontânea e vibrante, tocando os tradicionais sambas e marchinhas. Dia 14 de julho, a Orquestra Afrobeat Abayomi, da Nigéria significa encontro feliz, promete que fará juz ao próprio nome. 

Outras atrações importantes do festival são as palestras e os filmes. Os amantes de Shakespeare terão a oportunidade de assistir, no Auditório do Museu Imperial, dia 7 de julho os comentários do especialista Mário Willmersdorf Jr. sobre a obra Romeu e Julieta. No Centro de Cultura Raul de Leoni, dia 15 de julho, o destaque vai para a comédia musical «Os Guarda-Chuvas do Amor (Les parapluies de Cherbourg)», dirigido por Jacques Demy e estrelado por Catherine Deneuve e Nino Castelnuovo. 

Os aficionados pelo jazz (dentro de um ambiente mais intimista) e pelas românticas canções francesas têm encontro marcado dias 7 e 9 de julho, no Restaurante Igualite. Dia 7, entra em cena o trompetista alemão Uli Beckerhoff e convidados tocando jazz. Dia 9, Mariano Trio apresentará o show “Blues and Some news”. 

Entre os principais palcos do 12º Festival Internacional de Inverno de Petrópolis, destacam-se: Abertura na Catedral de São Pedro de Alcântara ; show no Clube Petropolitano ; Concertos ao Meio-Dia e a Luz de Velas na Sala da Batalha no Museu Imperial; Theatro D. Pedro e shows em sua escadaria; palestras sobre música clássica com especialistas no Museu Imperial; série Cristal Jazz no Palácio de Cristal; Chás Musicais e happy hours no Hotel Solar do Império,filmes no Centro de Cultura Raul de Leoni, além do já consagrado Festival vai a Praça na Praça da Liberdade. 

O Festival de Inverno da Dell’Arte tornou-se uma tradição em Petrópolis, com repercussão no Brasil e na América do Sul. Além de mobilizar a população local e as redondezas, gera um grande movimento de turistas que normalmente lotam hotéis, pousadas e restaurantes durante todo o período do festival. 

Os ingressos são todos a preços populares, mas muitos espetáculos têm entrada franca mediante a doação de um quilo de alimento não-perecível. Os bilhetes podem ser adquiridos nos locais dos eventos e boa parte deles é destinada aos jovens, proporcionando-os acesso às variadas formas de manifestação das artes.

12 º Festival de Inverno de Petrópolis/Dell’Arte - 6 a 15 de julho de 2012
Mais informações : www.dellarte.com.br/festival
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…