Pular para o conteúdo principal

Andrea Ferrer encerra tournée de seu segundo disco no Solar de Botafogo

O sucesso da apresentação no fim do ano passado levou Andrea Ferrer a pensar sobre uma nova data no Solar de Botafogo, desta vez para encerrar a temporada de shows do seu segundo e homônimo disco. No próximo dia 03, às 21:30h, o público carioca poderá assistir à curiosa e empolgante mistura que a cantora baiana deu forma a partir de suas próprias composições e interpretações de matizes diferentes da música brasileira – de Raul Seixas a Villa-Lobos, com direito a Lobão, Chico Buarque e muito mais. Sob o arranjo do maestro João Carlos Coutinho, também pianista e acordeonista do grupo, a cantora vai contar com o mesmo time de músicos: César Machado (bateria), Adriano Giffoni (baixo) e Felipe Poli (violão/guitarra). “Uma noite para celebrar o fim de um ciclo e o início de novos projetos”, diz Andrea.

A pluralidade da artista, evidente em todo o seu último CD, produzido pela cantora junto com Beto Benjamin e Luca Maciel, será o norte deste show. No repertório, composições como “Marina dos Mares”, parceria de Carlinhos Brown com Géo Benjamin, uma homenagem ao mundo marítimo de Dorival Caymmi. A Bahia será lembrada ainda com Raul Seixas (“Gita” e “Maluco Beleza”), além dos clássicos “Arrastão” (Vinícius de Mores/Edu Lobo) e “Meu Pai Oxalá” (Vinícius de Moraes/Toquinho). As melodias folk de Lobão ganham versão jazz-funk em “Chorando no Campo”, e sobra também para Chico Buarque, cuja canção “Vida” ganha um formato meio tango, meio pop. Na fronteira com a erudição, em “Melodia Sentimental” (parceria com Dora Vasconcelos), Villa-Lobos renasce com o piano de João Carlos Coutinho.
As composições autorais de Andrea Ferrer, em parceria com Luca Maciel, também são destaque na avalanche multicultural que a cantora promete apresentar no Solar de Botafogo. O pop, o samba, o rock e o folk, estão em músicas como “Poder Insano” e o romantismo é a marca em “Pertinho” ( segundo a cantora, uma canção sobre o “encontro homem-mulher”) e “O Que Ficou”, relatando os reversos do amor (“pra você me dei / doei / doeu demais”). As autorais se completam ainda com “Nas Nuvens”.



Crescida embalada por óperas italianas (cantadas pelo pai tenor) e clássicos da MPB (na voz da mãe), flertando com o pop (mas sem abrir mão da sofisticação e das boas referências), a carreira de Andrea Ferrer se divide também com o teatro e a televisão (gravou comerciais, participou de novelas, aprofundou-se nos estudos cênicos). Através da tournée “Caetaneando”, cantando e recitando letras do cantor baiano, Andrea realizou uma série de shows que reverberou seu nome para diferentes cantos do país. No Rio, apresentou-se no Mistura Fina, Mika’s, Merci Piano Bar, Vinícius, Bastidores, Casa Julieta de Serpa, Teatro Café Pequeno e os teatros do SESC. Curitiba, Florianópolis, Brasília e Salvador também receberam a cantora com sucesso de público. Lançou seu CD de estréia “Séculos” em 2003, fruto de uma parceria com o baixista e produtor musical Luca Maciel, e já gravou dois videoclipes: “Marina dos Mares”, de Carlinhos Brown, e “Pertinho”, também uma parceria com o então produtor Maciel.


SERVIÇO: Show Andrea Ferrer no Solar de Botafogo

03/04 – quarta-feira – às 21:30h

End: Rua General Polidoro, 180 - Botafogo

Informações: 21-25435411

Ingressos: R$40,00 (inteira), R$20,00 (meia)


Texto: Divulgação/Assessoria de Imprensa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…