Pular para o conteúdo principal

LEVADA Oi FUTURO CHEGA À SEGUNDA EDIÇÃO APRESENTANDO MÚSICA DE VANGUARDA DE TODAS AS REGIÕES DO PAÍS


Rio de Janeiro, 20 de maio de 2013 – O Oi Futuro estreia em 24 de maio a segunda temporada do Levada Oi Futuro, mostra de música que reúne artistas com uma nova levada de várias regiões do Brasil. Criado especialmente para o Oi Futuro em Ipanema, espaço já consolidado no circuito carioca de shows, o projeto, que entra em sua segunda edição, continuará a mostrar um pouco da produção musical de vanguarda que está sendo feita em várias cidades brasileiras, em um total de 20 artistas divididos em 40 apresentações, sempre às sextas e aos sábados, às 21h.

O pontapé inicial será dado no fim de semana de 24 e 25 de maio, com o rock neo-psicodélico e cheio de misturas do pernambucano JuveNil Silva, seguido por Andreia Dias, dias 31 de maio e 1o de junho. Para junho, já estão confirmadas as atrações: Brunno Monteiro (7 e 8), Janaina Fellini (14 e 15), o duo Dois em Um  (21 e 22) e Laura Lopes (28 e 29).

O Levada Oi Futuro é um projeto da Zucca Produções, com patrocínio da Oi por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Estado do Rio de Janeiro. A curadoria é de Jorge LZ, que se divide entre as funções de DJ, produtor e apresentador do programa Geleia Moderna, da rádio Roquette Pinto FM. Para ele, a primeira edição foi acima das expectativas. “Conseguimos equilibrar nomes que estavam para despontar com outros um pouco mais conhecidos, como foi o caso de Bixiga 70, Lucas Santtana e Filipe Catto”, afirma. Para este ano, a ideia do curador é continuar buscando artistas de todas as regiões do país. “Vamos investir mais em nomes que estão começando e nas intérpretes femininas”, garante Jorge.

“O Levada Oi Futuro, que foi visto por mais de três mil pessoas no ano passado, veio para ficar. Junto com o Novas Frequências, que chega à terceira edição, no final deste ano e ao Sonoridades de Nelson Motta, que acaba de fechar sua terceira temporada, a mostra forma a tríade de projetos que justificam o Oi Futuro em Ipanema ser reconhecido como um dos espaços mais receptivos à música inovadora, no Brasil, hoje”, define Roberto Guimarães, diretor de Cultura do Oi Futuro. “E como somos inquietos e queremos dar cada vez mais espaço aos novos artistas musicais de todo o país, estamos estreando mais um projeto neste mês de maio, o A.nota, com curadoria de Thiago Vedova”, anuncia.

As atrações de maio e junho

Ex-guitarrista da banda de rock Canivetes e atual Dunas do Barato, onde toca baixo, JuveNil Silva aposta em composições próprias, rock com pitadas pop e psicodélicas que lembram as referências musicais dos anos 1970. Essa mistura tem um quê de Raul Seixas, Secos & Molhados e Beatles, e está presente nas canções de seu primeiro álbum “Desapego”, que foi disponibilizado para download na internet, em janeiro último. Depois de chamar a atenção da imprensa na última edição do Abril Pro Rock, no mês passado, ele se prepara para sua primeira apresentação no Rio. No repertório, estão músicas como ““Hitchcock rock”, “Desapego” e “Pomba-gira Violeta”, entre outras.

Com 40 anos, Andreia Dias foge do padrão diva e aposta no coletivo. Integrante das bandas Dona Zica e Glória, a cantora participou da formação original do Farofa Carioca, antes mesmo de o grupo estourar.  O primeiro CD, em 2008, “Vol.1”, foi lançado como parte de uma trilogia, que já está no “Vol. 2” (2010). A segunda atração do mês de maio vai mostrar, em suas duas apresentações em solo carioca, seu novo trabalho, “Pelos Trópicos”. O CD foi gravado ao longo de cinquenta dias, em dez cidades brasileiras, onde Andreia compunha e convidava um artista local para gravar com ela.

O mês de junho segue mantendo a leva de novidades, com Brunno Monteiro, que está lançando seu primeiro CD, “Ecos da rua”, produzido por Junior Tolstoi. Janaína Fellini marca presença com composições próprias e canções que vão de Carlinhos Brown a Itamar Assumpção, enquanto a dupla “Dois em Um” – formada pela cantora e violoncelista carioca Fernanda Monteiro e o multi-instrumentista e compositor baiano Luisão Pereira – apresenta as canções do seu novo CD, “Agora”. Fechando o mês, Laura Lopes traz de Belo Horizonte uma MPB moderna em seu CD de estreia, ”Abaporu“.

A primeira edição do Levada Oi Futuro aconteceu de maio a outubro de 2012, reunindo, ao todo, 20 artistas nacionais em 40 shows, com um público total de três mil pessoas ao longo do projeto. Entre os artistas que se destacaram na programação estavam Ellen Oléria (de Brasília), que depois se consagrou na TV, no programa The Voice Brasil, da TV Globo, e outros nomes de trajetória maior, mas que raramente fazem shows na cidade, como Bixiga 70 e Tatá Aeroplano.

Grande panorâmica da música de vanguarda é no Oi Futuro em Ipanema

O Oi Futuro em Ipanema é um espaço consagrado no Rio de Janeiro para apresentações de música de vanguarda, ousada e inovadora. Desde 2009, diversas atrações nacionais e internacionais passaram pelo centro cultural, que conta com acústica impecável e telão para projeções. O Oi Futuro apresenta festivais que já fazem parte do calendário da boa música no Rio, como o Sonoridades, com curadoria de Nelson Motta, o Novas Frequências, de Chico Dub, com as revelações da música eletrônica internacional e nacional e o Levada Oi Futuro, que, mais que um festival, é uma mostra do que tem sido produzido em todos os gêneros e estilos nas cinco regiões do país. Além dessa grade, o Oi Futuro em Ipanema ainda recebe os melhores artistas independentes da cena brasileira, a exemplo do projeto recente, Som de Março, e do novo festival que estreará, A.nota. Também tem recebido artistas internacionais em oportunidades únicas, caso dos franceses do Mademoiselle K e dos portugueses do The Gift.


Sobre o Oi Futuro

O Oi Futuro é o instituto de responsabilidade social da Oi, que emprega novas tecnologias de comunicação e informação no desenvolvimento de projetos de educação, cultura, esporte, meio ambiente e desenvolvimento social. Desde 2001, suas ações visam democratizar o acesso ao conhecimento e reduzir distâncias geográficas e sociais, com especial atenção à população jovem.  

Na educação, os programas NAVE e Oi Kabum! usam as tecnologias da informação e da comunicação, capacitando jovens para profissões na área digital, fornecendo conteúdo pedagógico para a formação de educadores da rede pública, e fomentando o desenvolvimento de modelos inovadores. Já na área cultural, o Oi Futuro mantém dois espaços culturais no Rio de Janeiro (RJ) e um em Belo Horizonte (MG), com programação nacional e internacional de qualidade reconhecida e apreços acessíveis, além do Museu das Telecomunicações nas duas cidades.  

O esporte é apoiado através de projetos aprovados pelas Leis de Incentivo ao Esporte, tendo sido a Oi a primeira companhia de telecomunicações a apostar nos projetos socioeducativos inseridos na Lei Federal. O programa Oi Novos Brasis completa seu escopo de atuação, reafirmando o compromisso do Instituto no campo da sustentabilidade, com o apoio e o desenvolvimento de parcerias com organizações sem fins lucrativos para a viabilização de ideias inovadoras que utilizem a tecnologia da informação e comunicação para acelerar o desenvolvimento humano.


SERVIÇO LEVADA Oi FUTURO
Show: JuveNil Silva
Local: Oi Futuro
Endereço: Rua Visconde de Pirajá, 54/2º andar – Ipanema
Datasdias 24 e 25/5 (sexta e sábado, respectivamente), às 21h
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
Duração: 90 minutos
Classificação etária: 14 anos
Capacidade de público por sessão: 92 pessoas
Informações:
Oi Futuro - (21) 3201-3010 / Zucca Produções – (21) 2556-5265 / (21) 8527-0270


Texto: Divulgação - Assessoria de Imprensa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…