Pular para o conteúdo principal

Por dentro do Museu Imperial: Semana Nacional de Museus tem sucesso de público no Museu Imperial


Em 2013, o Museu Imperial/Ibram teve recorde de participação de público na Semana Nacional de Museus. Mais de seis mil pessoas visitaram ou participaram das atividades especiais da instituição, contando com sua subunidade, a Casa de Cláudio de Souza. A 11ª edição da Semana foi realizada de 13 a 19 de maio em todo o país, com o tema “Museus (memória+criatividade) = mudança social”.

O número de participantes em 2013 (6.038) foi 26,5% maior do que em 2012, quando foram recebidos 4.436 visitantes. Já com elação a 2011, quando o público foi de 3.901 pessoas, o aumento foi de 35,4%.

Programação incluiu atividades variadas

As atividades da Semana Nacional de Museus incluíram palestras, exposições, debates, ações educativas e outros eventos. O primeiro foi o Curso de Atualização para Guias de Turismo, que ocorreu de 13 a 15 de maio. Nele, profissionais que atuam em Petrópolis tiveram a chance de reciclar seus conhecimentos e de trocar experiências com museus, centros culturais e atrativos turísticos de Petrópolis.

O diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Jr., lembrou que o curso é pertinente ao tema da Semana Nacional de Museus. “É importante ter os guias aqui porque acreditamos que estes são agentes de mudança social. Os museus preservam o patrimônio, mas precisamos sempre de novos instrumentos para difundir o conhecimento, transferindo-o à sociedade”, afirmou.

Ainda no dia 13, data de comemoração dos 125 anos de assinatura da Lei Áurea, o Museu Imperial inaugurou a exposição “A simbologia da camélia na história e na arte”. Com coordenação da historiadora Claudia Costa e apoio da AcademiaSanguetsu, a mostra apresentou painéis e arranjos de Ikebanas mostrando o papel dessa flor em diferentes momentos e culturas, com destaque para o movimento abolicionista no Brasil.

Em seguida, foi promovida a mesa-redonda “Abolição em revista”, que teve participação dos historiadores Eduardo Silva e Bruno de Cerqueira. Silva iniciou lembrando que o 13 de maio de 1888, data em que a princesa Isabel assinou a Lei Áurea, abolindo a escravidão no Brasil, foi um marco histórico. “Essa é a lei que dá origem ao Brasil. Antes, existia o território, o Estado e o nome, mas não existia uma nação, ou seja, o povo”, declarou. O palestrante destacou ainda o papel da camélia, símbolo do movimento que reivindicava a abolição imediata da escravidão e sem indenização para os senhores de escravos.

Bruno de Cerqueira abordou os diferentes tipos de movimentos abolicionistas que havia. “Há ‘abolicionismos’, no plural. Os movimentos eram uníssonos em dizer que era preciso libertar os escravos, mas tinham projetos diferentes para isso. Havia um ‘guarda-chuva’ de ideias e propostas”, afirmou. Ele lembrou ainda alguns nomes importantes do movimento, entre os quais a própria princesa Isabel.

No dia 16 de maio, data em que o Plano Nacional de Museus completou dez anos, foi realizado um debate sobre sistemas municipais de museus, com participação do presidente do Conselho Municipal de Cultura (CMC), Leonardo Randolfo, e da coordenadora do Sistema Estadual de Museus do Rio de Janeiro, Lucienne Figueiredo. O mote do debate foi o movimento para a criação de um sistema em Petrópolis, encabeçado pelos museus da cidade, cujos representantes também participaram do evento.

Lucienne Figueiredo apresentou sua experiência à frente da implantação do Sistema Estadual de Museus, que contou com visitas a todos os municípios do estado para conhecer as realidades de suas unidades, capacitar profissionais e auxiliar em diversos aspectos técnicos. Já Leonardo Randolfo explanou sobre o Sistema Municipal de Cultura de Petrópolis e traçou um histórico das ações do CMC para incentivar a criação do Sistema Municipal de Museus na cidade.

Na mesma data, a Biblioteca Infantil Rocambole ofereceu uma tarde de contação de história com o livro “Imagine uma menina com cabelos de Brasil”, uma divertida paródia da globalização. A atividade contou com a presença do autor, Alexandre Bersot, que conversou com as cerca de 70 crianças presentes e autografou livros. Foi exibido ainda o filme de animação que deu origem ao livro, também criado e dirigido por Bersot.

Na sexta-feira, 17 de maio, as atividades aconteceram na Casa de Cláudio de Souza. Na ocasião, foi realizada uma ação educativa, que contou com teatro de fantoches, música e performance teatral para contar às crianças um pouco sobre a vida e a obra do titular da casa, o escritor e teatrólogo Cláudio de Souza. Na data, também foi inaugurada a exposição de fotografias “Conhecendo Cláudio de Souza”, que ficará em cartaz no local por tempo indeterminado.

Em 18 de maio, Dia Internacional de Museus, e no dia 19, a visitação ao Museu Imperial foi gratuita. No dia 18, o público também pode conferir uma apresentação do Coral Dó Ré Mi – coro modelo do projeto Canta Petrópolis, sob regência do maestro Leonardo Randolfo. Além disso, ao longo da semana, os espetáculos “Som e Luz” e “Um Sarau Imperial” tiveram preços promocionais.

Parcerias com instituições

Outro diferencial de 2013 foi a parceria com os demais museus de Petrópolis, na qual as unidades programaram eventos e realizaram uma divulgação conjunta. O objetivo foi integrar os museus com a finalidade de divulgar suas ações e incentivar não apenas turistas, mas a população local, a visitar esses espaços.

A partir dessa unidade, foi possível ainda uma parceria com a Prefeitura Municipal de Petrópolis, através da Fundação de Cultura de Turismo, que disponibilizou recursos para a produção de material informativo e de divulgação, como banners e folders com a programação de todos os museus da cidade.

SERVIÇOS

Museu Imperial/Ibram/MinC
Endereço: Rua da Imperatriz, 220 – Centro – Petrópolis, RJ
Telefones: (24) 2245-5550 / (24) 2245-5560

Texto: Divulgação - Assessoria de Imprensa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…