Pular para o conteúdo principal

Cavaquinista da Velha Guarda da Mangueira conta com participações de peso como Nilze Carvalho, Ronaldo do Bandolim e Dirceu Leite no cd que leva o nome "Siqueira Entre Nós"

osé Siqueira de Alcântara, aos 75 anos, soma mais de 450 obras de autoria própria para cavaquinho e o lançamento de seu ''primogênito'' acontece no dia 08 de junho, na Sala Baden Powell, em Copacabana, no Rio de Janeiro. O cavaquinista da Velha Guarda da Mangueira conta com participações de peso - tanto no palco quanto no álbum - como Nilze Carvalho, Ronaldo do Bandolim e Dirceu Leite no cd que leva o título "Siqueira Entre Nós". Outros nomes da música como Márcio Hulk e Daniela Spielmman também participam das gravações. A iniciativa é fruto de um verdadeiro''mutirão''composto por mais de 120 pessoas - entre músicos e técnicos - envolvidas na gravação, além de doações para a viabilização do lançamento. 

Os idealizadores do projeto, Wellington Monteiro e Pedro Cantalice, mobilizaram a classe artística após o drama pessoal vivido pelo cavaqunista. Siqueira é cardiopata e logo após sofrer uma cirurgia os médicos chegaram a dizer que teria apenas 1% de chance de sobreviver. Ao saber que Siqueira, de fato, havia contrariado as estatísticas, Wellington e Pedro recorreram ao crowdfunding – modelo de financiamento colaborativo que faz sucesso na internet – para arrecadar recursos e acabou dando certo.

O CD, gravado no Estúdio Umuarama, em Laranjeiras, é produzido pelos músicos e idealizadores do projeto, Wellington Monteiro e Pedro Cantalice. Inicialmente classificado como choro, o disco permite a fuga do rótulo e proporciona um mergulho mais intenso no universo da música instrumental, permeando assim diversos ambientes sonoros, mesclando tradicional e contemporâneo com muita propriedade e virtuosismo.   

Siqueira pertenceu à última formação do grupo de Pixinguinha, é pernambucano e filho de músicos - mãe pianista e pai bandolinista. Estudou acordeon na Academia Mario Mascarenhas e se apresenta como profissional há mais de 60 anos. Siqueira integrou vários grupos musicais (Carinhoso, Apoio e Chapéu de Palha), regionais (Chorões do Rio, Mário Pereira e seus Chorões, Conversa de Violão) e também participou de orquestras como Tabajara e Cuba Libre.

Em sua trajetória, acompanhou ainda artistas como: Jamelão, Alcione, Jards Macalé, Moreira da Silva, Dicró, as divas do rádio Marlene e Emilinha Borba, além de Mário Alves, Beth Carvalho, Nelson Gonçalves, Rildo Hora, e (mais recentemente) Seu Jorge.

Em setembro de 2012 esteve em Portugal após a aprovação do projeto “Siqueira e o Cavaquinho Brasileiro” pelo Edital de Intercâmbio e Difusão Cultural do Ministério da Cultura. Acompanhado pelos idealizadores ministrou oficinas no Mini Teatro da Calçada do Combro, na capital, com apoio do Clube do Choro de Lisboa
-


Serviço

Lançamento do Cd "Siqueira Entre Nós"

Data: 08 de junho 

Hora: 20h

Local
: Sala Baden Powell - Endereço: Av. Nossa Senhora de Copacabana, 360
Altura do Copacabana Palace – Posto 2
Estação Metrô Cardeal Arcoverde

Preço: R$ 20 inteira / R$ 15 estudantes e idosos

Texto: Assessoria
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…