Pular para o conteúdo principal

A Primeira Noite de Melissa - Contos de amor extremos de José Guilherme Vereza

“A Primeira Noite de Melissa”, o segundo livro de contos de José Guilherme Vereza, traz o gosto pelas carnalidades e trapaças do autor. Livre de pretensões e com histórias que dialogam com os leitores, o livro deixa de lado recatos e pudores e surpreende nas entrelinhas de cada um dos seus trinta e dois contos. O lançamento acontece no dia 04 de outubro, às 19h, na Livraria da Travessa, no Shopping Leblon.

José Guilherme Vereza oferece ao leitor pitadas da vida cotidiana com seus desejos ocultos, seduções, jogos, dúvidas e toda libidinagem escancarada que move as paixões do homem contemporâneo. Com um texto rico em detalhes e envolvente, o livro apresenta diversos contos eróticos e leva o leitor a se sentir um voyeur, olhando através do buraco da fechadura, aguçado por saber o que ainda está por vir.

A obra envolve temas que vão da necrofilia que move um menino do interior, perdido no tempo, às luxurias da alta classe média urbana atual. Da traição entre irmãos no início do século XX às perplexidades sexo-epistolares-digitais da primeira década do novo milênio. Vereza se inspira na imoralidade Rodriguiana e no realismo sem rodeios de Rubem Fonseca, trazendo aos leitores um certo ar de familiaridade com as situações vividas por seus personagens.

Publicitário por formação, José Guilherme Vereza estreou no mundo dos livros em 2007, ao publicar “30 segundos”, seu primeiro livro de contos cujo nome remetia ao tempo padrão dos comerciais de televisão. Já a paixão pela literatura sempre caminhou junto com sua profissão. Em 1997, seu conto “Relações Postais”, que abre “A Primeira Noite de Melissa”, ganhou o prêmio Stanislaw Ponte Preta e foi adaptado para o teatro.

O tema amor e sexo faz parte da rotina de Vereza que publica, mensalmente, seus contos em sites femininos como “Bolsa de Mulher” e na revista eletrônica literária “Samizdat”. Pela intimidade com o assunto, Vereza já é conhecido como um autor de alma feminina. Como diz Monica Maligo, ao prefaciar “A Primeira Noite de Melissa”, José Guilherme Vereza é o único escritor brasileiro atual dedicado à afrodisiografia de humor, e ao fazê-lo, proporciona imenso prazer ao leitor.

Sobre o autor

José Guilherme Vereza é publicitário, diretor de criação, redator, escritor, roteirista, blogueiro, professor. Trabalhou como criativo e executivo em várias agencias de publicidade de todos os tamanhos. Foi - e às vezes nunca deixa de ser - professor da PUC Rio e ESPM. Durante 3 anos teve uma coluna de ficção sobre amor e sexo no Bolsa de Mulher. Atualmente é sócio executivo da 11:21 Simplicidade Criativa, Story Teller da Michel Dubret Filmes, autor permanente das web revistas literárias Samizdat e MundoMundano. Seu premiado conto  Relações Postais (Rio Arte 1997) foi transformado em peça e de teatro em 2004. Em 2007, lançou  30 Segundos - Contos Expressos, uma coletânea de contos escritos com exatos 30 segundos de duração, linguagem que praticou por mais de 30 anos na propaganda. Tem contos publicados nas duas edições não virtuais do MundoMundano.


Ficha Técnica
Livro: A Primeira Noite de Melissa
Autor: José Guilherme Vereza
Editora: Literis
Gênero: Contos de ficção
Preço sugerido: R$ 33,00
Número de páginas: 176


Texto e foto: Divulgação - Assessoria de Imprensa



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…