Pular para o conteúdo principal

Dá no Coro faz show no Rival, 2 de outubro, após temporada de sucesso na França

Foram oito apresentações que ficarão na memória do grupo Dá no Coro Música e Cena, todas dentro da programação dos festivais franceses Choralp e Choralies, entre julho e agosto últimos. A temporada no exterior, patrocinada pelo Itaú através da Lei Rouanet, foi tão positiva e vibrante que o grupo carioca resolveu levar a mesma energia para o palco do Teatro Rival, dia 2 de outubro, às 19:30h. Através de um repertório exclusivamente brasileiro, sublinhando a beleza da música popular com raízes afro-brasileiras, eles pretendem levantar o público com suas artes coral, percussiva e cênica, assim como fizeram há algumas semanas, em um teatro romano do século I d.C, na França, para mais de 5.000 expectadores.
            Formado há sete anos, o Dá no Coro Música e Cena, sob a direção musical do maestro e arranjador Sérgio Sansão e direção cênica de Jonas Hammar, conta com 17 cantores e instrumentistas que vão apresentar diferentes leituras de obras consagradas da MPB, como Casa Forte (Edu Lobo), Vera Cruz (Milton Nascimento e Márcio Borges), Água de Beber (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), Milagres do Povo (Caetano Veloso) e Que baque é esse? (Lenine), não deixando de lado o prisma ligado ao cancioneiro do folclore brasileiro, como A Lua Girou (Folclore Brasileiro da região de Beira-Rio, Bahia) e Vapor da Paraíba (Vovó Teresa), todas com a interpretação envolvente que mistura voz, movimento e instrumental, fusão característica do grupo.

Companhia Dá no Coro Música e Cena

A Companhia Dá no Coro de Música e Cena desenvolve um trabalho eminentemente vocal e cênico, trabalhando exclusivamente com música brasileira, valendo-se também de instrumentos de cordas dedilhadas e percussões, em seus arranjos, e de performances cênicas, em suas apresentações. O grupo, que já dividiu palco com Dona Ivone Lara, Carlos Malta e Pife Muderno e Jongo da Serrinha, busca refletir a diversidade cultural presente na sociedade brasileira, abraçando nossas raízes indígenas, européias e principalmente africanas.
Em 2009 lançou se primeiro CD, Negro Cor, pelo selo Fina Flor, explorando a temática da identidade negra e da cultura afro-brasileira.Conhecido no circuito cultural do Rio de Janeiro, já se apresentou em importantes espaços culturais da cidade, como a Casa de Cultura Laura Alvim, Espaço Cultural Sérgio Porto, Teatro Maria Clara Machado (Planetário), Teatro Maison de France, Sala Baden Powell, Sala Cecília Meirelles, dentre outros. No ano passado, o grupo participou do Festival Mondial des Choers & Ensembles Vocaux Polyfollia 2012 (em Saint-Lô, França) e do FestRio Vocal (2012, Rio de Janeiro). Em anos anteriores, esteve presente no 9th World Symposium on Choral Music (2011, Puerto Madryn, Patagonia Argentina), America Cantat 6 (2010, Juiz de Fora), I e II Festivais de Música Dança e Cultura Afro-Brasileira (2006 e 2007) e o Cantapueblo 2006 - Tributo a la Música Negra del Mundo (Mendoza, Argentina)


Dia 2 de outubro, quarta-feira, 19h30
Teatro Rival Petrobras - Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Cinelândia
Lotação: 458 pessoas
Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia)
Informações: 2240-4469
Ingressos antecipados
Bilheteria - de segunda à Sexta – de 15h às 21h; Sábados – à partir das 16h
Classificação 16 anos
Pagamentos em dinheiro ou cheque. Não aceitam cartões de crédito.

 Texto e fotos: Assessoria de Imprensa



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…