Pular para o conteúdo principal

FIRED: Cris Bierrenbach explora o universo feminino em exposição na Galeria Lourdina Jean Rabieh

Fired significa demitido. E também baleado, atingido. Por ser justamente este o significado que queria dar às suas mulheres/profissionais, a fotógrafa Cris Bierrenbach se permitiu dar o nome dessa exposição em inglês. Mas suas mulheres não poderiam ser mais brasileiras. Cris fez dez autorretratos para levantar questões atuais relativas à condição da mulher na sociedade, desde os cargos que exercem no mercado de trabalho à violência que sofrem diariamente. Para isso, ela se vestiu de empregada, jogadora de futebol, gari, recepcionista, policial, enfermeira, executiva, aeromoça, chef, prostituta.

Depois de fotografar cada uma dessas profissionais e imprimi-las em tamanho natural (1,85m), Cris deu um tiro no rosto de cada uma das fotos – com calibre 12 ou 38 ou com explosivos – fazendo com que os rostos das mulheres ficassem desfigurados, anônimos.

 “A exposição Fired tem como objetivo instigar o público a pensar nas questões do universo feminino como a posição que exercem e como as mulheres são vistas na sociedade contemporânea”, diz Cris Bierrenbach. Em relação aos tiros que são usados para gerar o anonimato, ela explica que é a falta de identidade nos sonhos coletivos, ideais e modelos de felicidade.   

A série é uma continuação de um trabalho desenvolvido há dez anos, que tratava de forma semelhante outro tipo de questão do universo feminino: o casamento. A exposição Fired também contará com sua versão online.

Sobre Cris Bierrenbach

Cris Bierrenbach (São Paulo, 1964). Fotógrafa e artista plástica autodidata, iniciou sua carreira como repórter-fotográfica no jornal Folha de S. Paulo, em 1989. Desenvolve um trabalho artístico que inclui vídeo, performance, instalação e pesquisa sobre técnicas de impressão fotográfica do séc. XIX, com ênfase na produção de daguerreótipos. Dentre os prêmios recebidos destacam-se: Porto Seguro de Fotografia (2004), Prêmio Candango de Direção de Arte no 41º Festival de Cinema de Brasília (2008), Prêmio Aquisição Centro Cultural São Paulo (2009), Marc Ferrez de Fotografia e Arte Contemporânea da Funarte (2010). Além do Brasil, seus trabalhos já foram exibidos na Alemanha, Bélgica, Chile, Cuba, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Japão, México, Inglaterra e Uruguai. Possui obras nas coleções do MASP, MAM-SP, MAC-SP e Maison Européenne de la Photographie, entre outros. Em 2005 foi convidada pela editora Cosac Naify a publicar um livro com seu trabalho dentro da coleção Foto-Portátil.

Sobre a Galeria Lourdina Jean Rabieh

Há mais de 25 anos no mercado de arte, Lourdina Jean Rabieh dedica-se desde 2010 exclusivamente à arte contemporânea, com o propósito de promover e difundir a obra de artistas nacionais e estrangeiros, emergentes e consagrados. Sua aposta está na combinação de qualidade com propostas arrojadas, que ilustram a diversidade da prática artística contemporânea.

Fired

Abertura: 27 de novembro de 2013, a partir das 19h
Período expositivo: 28 de novembro de 2013 a 17 de janeiro de 2014
Dias e horários de funcionamento: Segunda à sexta das 10h às 19h; Sábados das 11h às 17h

Galeria Lourdina Jean Rabieh

Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 147
Tel: (11) 3062-7173www.lourdinajeanrabieh.com.br

Texto: Assessoria de Imprensa


Cursos Online na Área de Informática
Cursos Online 24 Horas




Saiba mais sobre Chandra Santos: http://bit.ly/1bifsNS 
EncurtaNET
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…
EncurtaNET