Pular para o conteúdo principal

Fobia - Espetáculo


16/11/13   -   20h
Theatro Municipal Dom Pedro
(Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00 meia).

Laell Rocha reúne no palco atores e bailarinos convidados para participarem da nova montagem da Cia Corpo em Cena – Dança/Teatro, com o espetáculo FOBIA. 


Fobia origina-se do grego “phobia”, que significa medo intenso, ou irracional, aversão, hostilidade e foi inspirado no deus grego do medo, Fobus.

Uma fobia é sempre um medo. Todos nós já passámos por situações em que sentimos medo, por exemplo, de alturas, de aranhas ou de cães. No entanto, para a maioria de nós, esses medos não interferem grandemente com as nossas vidas, pelo que não podem ser considerados verdadeiras fobias. Só quando existe um medo que se manifesta excessivamente e que alerta significativamente as nossas vidas é que podemos considerar tratar-se de uma fobia.

O Espetáculo tem elementos narrativos a partir da pantomima criada pelo corpo dos artistas permitindo que o olhar do espectador possa decifrar, as situações vivenciadas por um menino que vive em crise de pânico (fobia) que lhe acomete durante as noites ou quando esta sozinho. O trabalho é direcionado para que o público possa interagir a partir de suas emoções com as ações, desejos, pensamentos e transformações psicossocial do menino.
Esse menino cresce, mas a todo o momento ele lembra sua infância e reproduz todos os seus temores, pois acha que vive preso noutro mundo que não é o seu. Acredita que atravessou a realidade e está perdido do outro lado da porta, portas que remetem a sua infância a todo o momento.
Mesmo adulto está sempre vivenciando um perigo constante seguido de sintomas físicos, reproduzindo cenas repetitivas, como se estivesse sendo espancado, perseguido, e isso o incomoda, levando a um distúrbio e quando seu medo se excede tornando-o irracional em relação à ameaça, ele começa a apresentar fortes sinais de perigo, e começa a ter vertigem, calafrios e sensação de falta de ar.
Um trabalho forte e emocionante, apontando a questão das fobias.
(Laell Rocha)

FICHA TECNICA:

FOBIA

Criação / Direção geral: Laell Rocha
Classificação etária: A partir de 09 anos de idade.
Local: Theatro Municipal Dom Pedro.
Duração: 60 minutos.
Valor ingresso: R$ 20,00 inteira – R$ 10,00 Meia.

Atores/bailarinos: Ariel Barbosa, Laell Rocha, Lucas Kappaun, Milena Passarelli, Marcos Retondar, Pamela Simas, Renan Miranda e Tarcício Vianna.
Ensaiador: Lucas Kappaum.
Direção Teatral: Pita Cavalcanti.
Visagismo / Montagem de áudio e vídeos: Renato Marques.
Concepção Figurino/Adereços/Cenário: RLRocha.
Fisioterapeuta: Andrea Franco
Criação e Operação de Luz: Vagner Souza.

Equipe Técnica: Raquel Machado, Regina Silva, Rosane Guerra Peixe.
Produção Executiva: Vagner Souza – Viva Cultura Planejamento Cultural.
Apoio: TVC16, Academia Bodyclube e Palácio Rio Negro.

Realização: Cia Corpo em cena – Dança/Teatro e Terreiro Cultural “Ponto de Cultura”

Texto: Divulgação

Cursos Online na Área de Informática
Cursos Online 24 Horas




Saiba mais sobre Chandra Santos: http://bit.ly/1bifsNS 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…