Pular para o conteúdo principal

Gabriela: Ritmos Amados

Petrobras e Ministério da Cultura apresentam o espetáculo “Gabriela: Ritmos Amados” do Projeto Dançando Para Não Dançar, nos dias 18 e 19 de novembro de 2013, às 18h no Teatro João Caetano. Serão 450 crianças de 17 comunidades cariocas atendidas pelo projeto, que se revezarão no palco durante o espetáculo. A entrada é gratuita.

"Gabriela: Ritmos Amados" nasce da necessidade de inovar. Pensando nisso, o Dançando Para Não Dançar ousa ao apresentar um espetáculo de balé, a partir da obra de Jorge Amado, com uma opção estética que funde ritmos e linguagens coreográficas clássicas, contemporâneas e populares.

A concepção do trabalho é da bailarina e coordenadora da companhia, Thereza Aguilar e do 1º bailarino do Theatro Municipal e professor do projeto, Paulo Rodrigues. Os bailarinos se inspiraram na obra “Gabriela Cravo e Canela”, de Jorge Amado, buscando adaptar a história de maneira leve para a compreensão do público infantil e de forma a gerar uma identificação dos jovens com a realidade das comunidades onde vivem. De acordo com Thereza Aguilar, o objetivo é: "passar o conceito de que vale a pena amar e sonhar sempre. Por isso, decidimos que todas as meninas seriam ‘Gabrielas’. Não haveria uma, mas várias." Thereza destaca ainda a participação das jovens alunas e monitoras do projeto, que assinam junto as coreografias. "Elas criaram junto com os professores. Pra mim é gratificante ver como as meninas responderam bem a proposta de mudança e encamparam uma linguagem diferente.”

A trilha sonora, composta pelo arranjador e pianista Leandro Braga, especialmente para a o espetáculo, faz a fusão entre a música eletrônica e a orquestra.

Atualmente, o Dançando atua em dezessete comunidades: Pavão-Pavãozinho, Cantagalo, Rocinha, Mangueira, Chapéu Mangueira, Babilônia, Morro dos Macacos, Morro do Jacarezinho, Morro da Mineira, Salgueiro, Santa Marta, São Carlos, Morro do Borel, Japeri, Cruzada, Telégrafo e Cerro Corá, atendendo a cerca de 1.400 crianças e adolescentes de 05 e 19 anos. 

Em 2013, o projeto passou a atuar, em Japeri, na Baixada Fluminense, e no Morro do Telégrafo, onde atua com a pré-escola para trabalhar com as crianças na sua primeira formação. O projeto atualmente atende um total de 1. 425 alunos.

Parcerias – O projeto “Dançando Para Não Dançar” é patrocinado pela Petrobras, desde 1997, através da Lei de Incentivo à Cultura - Governo Federal - País Rico é País sem Pobreza. Conta com as parcerias da Faperj, Vídeo Filmes, Governo do Estado do Rio de Janeiro – Secretaria de Estado de Cultura, e Programas Ponto de Cultura, Mais Cultura e Cultura Viva.

Também tem parcerias com as Associações de Moradores das comunidades beneficiadas, da Vila Olímpica da Mangueira, dos Cieps Ayrton Senna, Salvador Allende e João Goulart, do Teatro Leblon, do Teatro das Artes, da UniverCidade, do curso de inglês Brasas, do curso de alemão Baukurs, além de convênios mantidos com a Staatliche Ballettschule Berlin e Balé Nacional de Cuba.
 Serviço:
Gabriela: Ritmos Amados - Projeto Dançando Para Não Dançar
Dias: 18 e 19 de novembro de 2013
Local: Teatro João Caetano
Endereço: Praça Tiradentes, s/n – Centro, RJ
Horário: 18h
Duração: 1h.
Classificação: Livre
Entrada: A entrada é Franca
Evento sujeito à lotação do espaço

Texto: Assessoria de Imprensa



Cursos Online na Área de Informática
Cursos Online 24 Horas




Saiba mais sobre Chandra Santos: http://bit.ly/1bifsNS 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…