Pular para o conteúdo principal

Tudo é Jazz no Porto

Depois de 12 edições anuais em Ouro Preto (MG), o Festival Internacional de Jazz, um dos principais do País, estende a programação para o Rio de Janeiro e atraca na Região Portuária nos dias 14 e 15 de dezembro. A primeira edição do projeto "Tudo é Jazz no Porto", no Armazém da Utopia, vem com repertório diversificado em sete atrações nacionais e internacionais.
O termo "jazz" é usado para descrever grande variedade de estilos. A dificuldade de encontrar uma definição levanta discussões entre entusiastas e jazzistas. A multiplicidade inspirou os organizadores do evento a escolher o nome do festival. "Quando escolhemos o nome para o evento em 2002, respeitamos esta variedade de conceitos sobre o gênero. Para resumir e evitar polêmicas, resolvemos instituir que 'Tudo é Jazz' no Festival de Ouro Preto", explicou a curadora Maria Alice Martins.

No dia 14, sábado, o armazém recebe o cantor e compositor norte-americano José James. Apaixonado pelo som do fim dos anos 60 e 70, o artista não gosta de ser rotulado. Seu som mistura jazz, hip hop, R&B e música eletrônica. No mesmo dia, passam pelo palco o quarteto vocal mineiro Cobra Cobral, que abrirá os shows, seguido da atriz e cantora Alessandra Maestrini. Após a apresentação de James, o grupo Afrojazz, que mistura jazz, groove, reggae, afrobeat e batuque, encerra a noite.

No domingo, dia 15, o festival programou três atrações gratuitas. A cantora paraense Rita Lima abre a noite com sua banda Los Petaleiros. Em seguida, sobe ao palco o saxofonista, arranjador e produtor Leo Gandelmen. Aclamado pelo público jovem e fãs de MPB, o instrumentista já gravou 15 álbuns desde 1987. Para fechar a primeira edição do festival, o convidado é Gianluca Pellerito. Com apenas 18 anos, o italiano é uma estrela do jazz mundial. O baterista já tocou no Kennedy Center, centro de artes em Washington, nos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres, e 10 vezes no festival italiano Umbria Jazz.

Além de dar aos cariocas oportunidade de aproximação com o gênero musical, a ideia do "Tudo é Jazz no Porto" é implantar no calendário anual do Armazém da Utopia um Festival Internacional de Música, a exemplo do Festival do Rio, de cinema. "A diretoria do Ensaio Aberto nos procurou porque queria trazer esse projeto para o Rio. Há muito tempo sonhamos com uma parceria assim. Quero que essa seja a primeira edição de um grande festival", prometeu Maria Alice.

Em parceria com o Museu de Arte do Rio (MAR), o festival também oferece oficinas gratuitas durante o fim de semana. No sábado, às 15h, palestra com a curadora Maria Alice e artistas que se apresentarão no festival (Alessandra Maestrini, Flávio Henrique, Pedro Paulo Machado e André Midant). Em seguida, às 17h, workshop musical com José James. Domingo, a partir das 16h, dois workshops musicais com Leo Gandelman e Gianluca Pellerito. Inscrições devem ser feitas pelo email oficinas@tudoejazz.com.br.

Serviço

Endereço
Armazém da Utopia, Avenida Rodrigues Alves, Armazém 6 do Cais do Porto (Não há estacionamento no local)

Sábado 
Ingresso: R$ 40 a inteira e R$ 20 a meia
Programação:
20h - Cobra Coral
21h30 - Alessandra Maestrini
23h - José James 
00h30 - Afro Jazz

Domingo
Gratuito. Convites podem ser reservados pelo email contato@tudoejazz.com.br e retirados 1 hora antes de cada show.
Programação:
18h - Rita Lima
19h30 - Leo Gandelman
21h - Gianluca Pellerito


Texto: Yara Lopes


Cursos Online na Área de Informática
Cursos Online 24 Horas




Saiba mais sobre Chandra Santos: http://bit.ly/1bifsNS 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…