O ESPETÁCULO “OS SAPOS”, DE RENATA MIZRAHI, QUE ABORDA AS RELAÇÕES AMOROSAS, CHEGA À ZONA OESTE

Depois de participar de uma temporada popular no Teatro Dulcina, o espetáculo “Os Sapos” abre a temporada de 2014 na Lona Cultural Gilberto Gil, em Realengo. Sucesso de crítica e público, “Os Sapos” aborda as dependências amorosas e suas diversas facetas. A autora assume também a direção da montagem, ao lado de Priscila Vidca.A apresentação única,será no dia 19 de março, quarta-feira, às 19h, Lona Cultural Gilberto Gil, em Realengo, com entrada franca.


O espetáculo recebeu quatro indicações ao terceiro Prêmio FITA (Festival  Internacional de teatro de Angra dos Reis) de 2013, e foi vitorioso nas categorias atriz, com Verônica Reis, e atriz coadjuvante, com Paula Sandroni.A autora também foi indicada ao prêmio de Teatro Cesgranrio 2013 de melhor texto nacional inédito.

Como o espetáculo foi um sucesso na passagem pela zona sul e pelo  centro do Rio, a autora Renata Mizrahi sentiu a necessidade de levar a peça para outros espaços da cidade. “A  oportunidade de levar o texto para as zonas Norte e Oeste gera um expectativa grande. Estamos muito felizes com essa experiência de interagir com um novo público”, conclui a autora.

A temporada longa nas lonas e nas arenas da Cidade é um aquecimento para o próximo passo do grupo: gravação de um longa-metragem sobre a peça, ainda no ano de 2014.
“Os Sapos” aborda as dependências amorosas e suas diversas facetas. O tema despertou o interesse dos públicos masculino e feminino, gerando até debate com uma psicanalista ao final do espetáculo para discutir as relações ali apresentadas. Agora a autora assume também a direção da montagem, ao lado de Priscila Vidca. Para Renata, "Os sapos" é um dos mais maduros textos de seu trabalho.

O espetáculo fala, com humor, de como as relações podem atingir níveis primitivos quando casais são colocados em situação de confinamento. O texto começa suave, mas, aos poucos, vai ficando mais tenso. O ritmo do espetáculo é marcado pelos diálogos ágeis, entrecortados por silêncios – ora irônicos, ora constrangedores –, mantendo a expectativa de uma nova virada a cada momento. O título da peça é uma referência aos sapos que se escondem no banheiro – eles são retirados de lá, mas sempre voltam. E é também àquilo que se engole em seco, a não expressão de um sentimento, o silêncio.

A encenação é um jogo no qual os cinco atores estão em cena o tempo todo. A ideia é priorizar as relações dos personagens e o encadeamento dos acontecimentos, com clima mudando cena a cena. Para isso, o cenário foi dividido em dois ambientes de forma não realista: de um lado do palco, o ambiente da casa e, do outro lado, no chão, cascalho de árvore e casca de pneus compõem ojardim.

O elenco reúne atores oriundos de reconhecidas companhias de teatro do Rio de Janeiro: Paula Sandroni (F. Privilegiados), Verônica Reis (Cia. Atores de Laura), Ricardo Gonçalves (Cia. Confraria da Paixão), Fabrício Polido e Gisela de Castro (Teatro de Nós). Eles se reuniram por mais de três anos para fazer leituras e discutir o texto e a montagem. Em 2011, o texto foi adaptado para o cinema, sob direção de Clara Linhart. O curta-metragem homônimo tem circulado por festivais e mostras, recebendo prêmios e reconhecimento da crítica. A trilha sonora é de Marcelo Alonso Neves; o cenário, de Nello Marrese e Lorena Lima; a iluminação é de Renato Machado e o figurino, de Bruno Perlatto.


Sinopse:
A peça se passa em um dia e uma noite numa casa de campo rústica, alugada por Marcelo e Luciana, um casal que, apesar de estar junto há oito anos, não assume o compromisso. Eles são vizinhos de Cláudio e Fabiana, casados e aparentemente felizes, porém o ciúme doentio de Cláudio faz Fabiana sentir um profundo vazio na vida. Nesse contexto, chega Paula, amiga de infância de Marcelo, que viaja para lá achando que passaria o final de semana numa confraternização de ex-amigos da escola. Ao chegar, ela se dá conta de que a confraternização era uma desculpa de Marcelo para revê-la e se vê obrigada a conviver com os dois casais, gerando, sem querer, grandes conflitos para todos.


FICHA TÉCNICA
Texto e concepção: Renata Mizrahi
Direção: Priscila Vidca e Renata Mizrahi
Elenco: Gisela de Castro, Paula Sandroni, Fabrício Polido, Ricardo Gonçalves e Verônica Reis
Assistência de direção: Juliana Brisson
Figurinos: Bruno Perlatto
Cenário: Nello Marrese e Lorena Lima
Iluminação: Renato Machado
Direção musical e sonoplastia: Marcelo Alonso Neves
Fotos: Clara Linhart
Cenotécnico: Leandro Machado
Programação visual: Marcio Freitas
Operação de luz: Rodrigo Bispo
Direção de produção: Sandro Rabello e Alan Isídio
Produção executiva: Neila de Lucena
Realização: Renata Mizrahi e Diga Sim! Produções

SERVIÇO: Os Sapos
MARÇO

Dia 19 – Quarta-feira
Local: Lona Cultural Municipal Gilberto Gil- Realengo
Endereço:Av. Marechal Fontenelle nº 5000 – Realengo - Tel: (21) 3462-0774
Horário: 19h
Entrada Franca
Duração: 70 minutos
Capacidade: 320 lugares
Classificação etária: 16 anos


Texto: Assessoria de Imprensa




Saiba mais sobre Chandra Santos: http://bit.ly/1bifsNS 

Visite minha lojinha!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é bem-vindo! ;)

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Todos os posts

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

TOP 10

Estudando para concurso? Compre sua apostila aqui!

assine nossa newsletter!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *