Pular para o conteúdo principal

O PROJETO MANGUINHOS EM CENA RETORNA ÀS ATIVIDADES, EM MARÇO, NA BIBLIOTECA PARQUE DE MANGUINHOS

Depois de um intervalo de um ano, o projeto Manguinhos em Cena, retorna às atividades na Biblioteca Parque de Manguinhos, espaço da Secretaria de Estado de Cultura, com oficinas de formação artística e técnica em teatro. A novidade deste ano é a abertura de aulas de iniciação teatral também para crianças e adolescentes que vivem no entorno da instituição. As novas oficinas começam no dia 26 de março, e as inscrições podem ser feitas na própria Biblioteca até o dia 25.


Idealizado e coordenado pela Companhia do Gesto e pela Zucca Produções em parceria com a Biblioteca Parque de Manguinhos, o projeto Manguinhos em Cena é um dos laboratórios do PalavraLab das Bibliotecas Parque estaduais e  integra o Programa FAVELA CRIATIVA. Resultado da parceria entre o poder público e a iniciativa privada, contando com recursos de R$ 14 milhões, provenientes da própria Secretaria de Estado de Cultura, da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, da Light, do Programa de Eficiência Energética da ANEEL e do Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID, o FAVELA CRIATIVA é formado por um conjunto de projetos que oferece a jovens agentes culturais formação artística e especialização em gestão cultural e estabelece canais de diálogo entre estes jovens, possíveis parceiros e patrocinadores potenciais
O diretor da Companhia do Gesto, Luís Igreja, conta que a ideia do curso para crianças e adolescentes nasceu durante as apresentações do espetáculo “Sintonia Suburbana”, peça desenvolvida pelo grupo de alunos da primeira edição, em 2012, na biblioteca.

“O interesse das crianças que viviam no entorno da biblioteca pelo espetáculo sempre foi grande. Elas acompanhavam os ensaios e as apresentações. Ficavam tão encantadas com o que viam que voltavam formando um público fiel para a peça”, explica Luís Igreja. “A oficina infantil será lúdica, uma iniciação ao teatro; já os adolescentes trabalharão a linguagem teatral a partir de materiais recicláveis”, continua. As aulas serão ministradas pelos atores da Companhia do Gesto Tania Gollnick e Ademir de Souza.

As inscrições para essas oficinas já podem ser feitas na própria Biblioteca Parque de Manguinhos. Crianças e adolescentes devem preencher a ficha de inscrição, e seus pais autorizarem. Podem levar a autorização para casa para os pais assinarem, ou os pais podem ir à biblioteca e assinar lá mesmo. Todas as atividades de formação do Manguinhos em Cena são gratuitas. Para acompanhar a agenda do grupo e as atividades, acesse e curta a página no Facebook (www.facebook.com/manguinhosemcena).


Manguinhos em Cena em 2014 consolida a formação de um núcleo cênico residente da Biblioteca Parque de Manguinhos, com 15 integrantes que se mantiveram no projeto desde 2012, e contou com a seleção de outros 12 novos participantes no fim de 2013 por meio de uma aula teste. O grupo com 27 participantes do projeto passará por novo processo, visando à formação e à consolidação de um núcleo teatral preparado para atuar artística e socialmente – com estrutura própria e sustentável – e desenvolver uma identidade própria para sua expressão teatral. As aulas de dramaturgia, interpretação, direção, produção, dança, técnica vocal e melodrama começam em março e vão até outubro, culminando com criação, desenvolvimento e realização de um novo espetáculo.

O novo grupo reúne pessoas que nunca tiveram contato com o teatro e outras que precisam trabalhar e qualificar melhor seus talentos. Um exemplo de sucesso é o aluno Evaldo de Andrade, morador da comunidade do Jacarezinho, que participou do projeto em 2012 por acaso e sem nenhuma expectativa. Atualmente, ele exerce o ofício de ator na novela “Joia Rara”, da TV Globo, continua no projeto e vai aproveitar as aulas na Biblioteca Parque de Manguinhos, mesmo já tendo conseguido seu DRT de ator (Documento de Registro Técnico).
- Todas as aulas foram importantes para minha formação.  No momento do teste na TV Globo, estava nervoso, mas coloquei em prática tudo o que aprendi nas oficinas do projeto Manguinhos em Cena, e deu tudo certo. Aconselho os iniciantes a aproveitarem, ao máximo, a oportunidade e, assim como eu, não faltar a nenhuma atividade do grupo – sugere Evaldo.

O objetivo do projeto é construir um pensamento de arte coletiva e teatro de grupo, característico das companhias de teatro, e oferecer formação artística com um grupo de excelência de oficineiros. Cada participante, além de estar em cena, exerce várias funções no processo artístico, como cuidar de todos os aspectos e áreas técnicas de um espetáculo, da criação e da montagem dos cenários, passando pela composição da trilha sonora, pela construção da dramaturgia, dos figurinos e até cuidar do camarim e montar o som.

As demandas apresentadas pelo grupo no primeiro ano foram levadas em consideração na organização da grade das oficinas que serão oferecidas nesta etapa. Os participantes solicitaram mais trabalho vocal e, para isso, Bethi Albano foi convidada para ensinar técnica de voz. Como o grupo tem vocação para trabalho de corpo e dança, a bailarina e coreógrafa Paula Águas foi escalada para reforçar essa tendência. Renata Mizrahi (dramaturgia) e Ana Luísa Cardoso (melodrama) contaram com a empatia do grupo em 2012 e voltam a campo este ano a pedidos da turma.

O projeto Manguinhos em Cena surgiu em 2012, dentro do Laboratório de Dramaturgia do Gesto, um dos projetos do PalavraLab da Biblioteca Parque de Manguinhos. Em sua primeira edição, foram selecionados 25 alunos, 90% deles moradores do Complexo de Manguinhos.  O grupo estreou, no final de 2012, "Sintonia Suburbana", espetáculo assinado pela dramaturga convidada Renata Mizrahi e dirigido por Luís Igreja, diretor da Companhia do Gesto.

Sobre as oficinas
Manguinhos em Cena terá sete meses de oficinas livres sequenciais, em nove módulos, além de atividades extras monitoradas (produção, monitoria de aulas nas oficinas para crianças e adolescentes, intervenções artísticas e performáticas na comunidade e na biblioteca, idas ao teatro, produção, recepção e estágios de montagem técnica com os espetáculos e grupos que se apresentarem no Cine-Teatro da Biblioteca em 2014).  Ao todo, o projetoManguinhos em Cena terá carga horária de 10h semanais (308 h/aula totais), com atividades divididas em dois dias da semana, quartas e quintas-feiras, à tarde; mais as atividades extras para os participantes.


SERVIÇO: MANGUINHOS EM CENA –Oficinas Crianças e Adolescentes
As novas oficinas começam no dia 26 de março e acontecerão sempre às quartas-feiras, das 9h às 12h. As inscrições podem ser feitas na própria Biblioteca Parque de Manguinhos até o dia 25 de março.
Crianças (8 a 12 anos) e adolescentes (a partir de 15 anos) devem preencher a ficha de inscrição, e seus pais autorizarem. A autorização pode ser levada para casa para os pais assinarem, ou os pais podem ir à biblioteca e assinar o termo lá mesmo.

LOCAL: Biblioteca Parque de Manguinhos, vinculada à SEC
ENDEREÇO: Av. Dom Hélder Câmara, 1184 – Manguinhos

Texto: Assessoria de Imprensa





Saiba mais sobre Chandra Santos: http://bit.ly/1bifsNS 

Visite minha lojinha!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…