A arte pela arte: do escritório à coxia

Sem medo de ser feliz, Vanessa Ochi deixou a vida executiva para se dedicar à produção cultural, sua verdadeira paixão

 
“Arte é tudo que você coloca em sua alma”

Ultimamente vivemos em um intenso debate sobre a liberdade artística no Brasil, onde diferentes eventos culturais estão sendo censurados ou sendo questionados sobre se devem ou não serem considerados formas de manifestação da arte. Em meio a esse cenário, entrevistamos a produtora cultural Vanessa Mengui Ochi, natural de Santo André.
Autotélica, ela tem 34 anos de idade e desde os dois tem contato com o mundo das artes, tendo aprendido piano, balet clássico e teatro. Ao ingressar no ensino superior, deu uma pausa nos estudos de artes, mas nunca deixou morrer essa paixão. Na faculdade, formou-se em três cursos diferentes: contabilidade, administração e logística. Até 2016 seguiu trabalhando nessas áreas, prestando consultorias e atuando em diferentes empresas. No entanto, em 2017, mudou-se para Bauru e, após participar de uma reunião no recente Fórum Cultural da cidade, o amor pelo mundo das artes a rebatou novamente. Foi quando ela decidiu seguir o seu coração.
Seu gosto por transformar coisas e o provável mercado que teria em Bauru para atuar como produtora cultural foram vantagens observadas e que a convenceram a se dedicar aos trabalhos artísticos. “Tem bastante artista na cidade, bastante seguimentos, mas percebi que ainda faltava alguém para trabalhar nos bastidores de tudo isso. Então resolvi juntar meus conhecimentos científicos com a arte, que é minha paixão. Como produtora cultural consigo unir todo o meu conhecimento, vocação e talento. Meus estudos na área administrativa me conferem um olhar diferenciado e um ótimo senso de gestão e planejamento de ações. Já a arte me ajuda desde o processo criativo até a desenvoltura e cada dia me agrega mais e mais, fortalecendo minha parte profissional e minha essência”, declara Vanessa.
Ela também destaca que a arte pode contribuir com a diversidade, informação, aceitação e, principalmente, a criatividade. “A arte nos faz pensar. Todo artista começa muito pequeno e quando cresce não tem noção de que precisa de ajuda. Isso faz com que eles mesmos se produzam. Porém, devem saber que é necessário alguém que facilite e o ajude”, aponta.
Quando questionada sobre a definição de arte, Vanessa explica que a arte não é definível, mas sim tudo em que você coloque sua alma para passar alguma mensagem e que esteja sujeito a várias interpretações.
Atualmente, Vanessa está refinando seus conhecimentos em artes. Sempre em busca de desenvolvimento pessoal e profissional, está cursando pós-graduação em produção cultural, faz parte da Garimpo Produtora, é produtora do FACE “Festival de artes cênicas de Bauru” e do Grupo Protótipo Tópico e mantém uma parceria com a Pinacoteca de Bauru. O próximo passo é consolidar a produtora e continuar ativista do Fórum Cultural da Cidade.
 
Fonte: Assessoria de Imprensa

Todos os posts

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

TOP 10

Estudando para concurso? Compre sua apostila aqui!