Todos os posts

Exposição de Eduardo Sued com trabalhos inéditos e recentes é prorrogada até dia 3 de março na Mul.ti.plo

Conhecido como um dos maiores coloristas da arte brasileira, prestes a completar 93 anos, Eduardo Sued se renova, lançando obras inéditas e cheias de vigor, em que a profusão de cores característica de seu trabalho é reduzida e o cinza e o preto se destacam. Na nova exposição individual do artista, que acontece na Mul.ti.plo Espaço Arte, no Leblon, até 3 de março, são apresentadas cerca de 18 obras, dentre pinturas (acrílico e óleo sobre tela) e objetos (madeira e pintura) de dimensões variadas, que vão desde 58cm x 64cm a 1m x 1,70m.

Caso raro de artista dessa idade em atividade que vive no Brasil, Sued tem um trabalho bastante singular e diz que a transformação é resultado de uma simplificação interior.  O cinza e o preto – que antes apenas dividiam combinações surpreendentes de cores improváveis de conviver, como vermelho, azul, verde e lilás – agora são protagonistas. E os outros tons (às vezes, apenas um deles) são um detalhe, num jogo sóbrio, mas vibrante, de expansão e contenção.

"Onde antes havia uma coleção de cores, agora são pouquíssimas, porque hoje eu acho suficiente. Se você olhar bem, o quadro se multiplica. E eu espero que o espectador veja dessa maneira, que ele se debruce sobre o quadro até que haja uma introjeção daquilo que não se vê. A minha simplificação se refere a esta intromissão dos espectador dentro do quadro", afirma Sued.

Para o consultor de arte Maneco Müller, o que chama a atenção é que, “dentro de seu repertório, Sued abre mão de todos os possíveis artifícios de sedução de uma pintura ao extremo”.

“A cor agora aparece como um pedaço. É como se ele pudesse reduzir todos os elementos pictóricos ao máximo, tirar todos os adjetivos, e ainda assim a qualidade de sua obra resiste”, afirma.

Na próxima quarta-feira, dia 31 de janeiro, às 19:30h, os críticos e professores Ronaldo Brito e Paulo Sergio Duarte participam de um bate-papo sobre a exposição de Sued na galeria. Paulo Sergio Duarte explica que um artista como Sued pensa mais na pintura que nos quadros:

"O importante é a própria pintura, como ela vai evoluindo, se processando e propiciando uma reflexão sobre a própria pintura. A gente só pode fluir essa pintura entendendo que ela ultrapassa os quadros. Algumas telas teriam tudo para dar errado. Porque parece que ele acumula problemas insolúveis. Mas dá certo! E ao criar problemas, com a sabedoria pictórica que ele foi acumulando, pelo talento inato e sobretudo pelo trabalho contínuo, isso dá para a gente uma alegria enorme. É aquela coisa do grande artista que na velhice produz uma obra muito jovem, porque está sempre chegando pela primeira vez".

Para a historiadora de arte e curadora Elisa Byington, o passar do tempo parece que não existe para Sued.

"Há um predomínio de cores escuras, mas ainda tem o vermelho vibrante, como naquele quadro, que podia ser de um garoto. Gostei muito dessas formas escultóricas, que dialogam com toda a arte dos contemporâneos dele, toda a obra concreto abstrata. Sued sempre nos surpreende".

Com a mostra deste ícone da arte contemporânea, a Mul.ti.plo celebra seus sete anos – Sued foi o primeiro artista a expor na galeria e já fez seis exposições lá, sempre apresentando sua produção mais recente.
 Sobre o artista

Eduardo Sued - Rio de Janeiro, 1925

O primeiro contato de Eduardo Sued com a cor foi através de aquarelas, em 1948, quando estudou com Henrique Boese, herdeiro do expressionismo europeu. De 1951 a 1953 viveu em Paris. Frequentou a Académie Julien e a Académie de la Grande Chaumière, onde fazia desenhos de modelos vivos. Durante a estada na França entra em contato direto com as obras da École de Paris, de Pablo Picasso, Miró, Matisse e Georges Braque. De volta ao Brasil, passa a trabalhar com gravura em metal, sendo aluno de Iberê Camargo – e a figuração das gravuras já se revelava moderna, com certa fragmentação.

O interesse por grandes áreas cromáticas e a busca por mais plasticidade levam o artista a se dedicar de forma cada vez mais intensa à pintura, em meados dos anos 1960. Em sua primeira individual, de pinturas, guaches e aquarelas na Galeria Bonino em 1968, os críticos já chamavam a atenção para a fusão da geometria com a figura, como Walmir Ayala, que descrevia o trabalho como uma “conjugação da abstração geométrica com a livre distribuição de formas do subconsciente, criando uma caligrafia do espiritual”.

Sued nunca participou ativamente de nenhum movimento, se mantendo distante das disputas entre concretos e neoconcretos nos anos 1950 e das discussões sobre a nova figuração dos 1960. Vai formando sua poética abstrata pouco a pouco; após um breve período de produção figurativa, conquista já no início dos anos 1970 o domínio seguro da linguagem construtiva.

Em meados dos anos 1990, introduz elementos novos em seu trabalho, como a tinta de alumínio e pinceladas espessas e descontínuas de modo que a superfície pareça ‘quase esculpida’, além de retornar à colagem, presente nos anos 1960 e 1970.

Eduardo Sued
Visitação: Até 3 de março
Horário: De 2ª a 6ª, das 10h às 18h30; sábado, das 10h às 14h
Onde: Mul.ti.plo Espaço Arte - Rua Dias Ferreira, 417/sala 206 – Leblon – Tel.: 21- 2259-1952.
Entrada franca

Bate-papo sobre a exposição com os críticos Ronaldo Brito e Paulo Sergio Duarte
Dia 31 de janeiro, às 19:30h


EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

·         1968 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Bonino
·         1970 - Rio de Janeiro RJ - Eduardo Sued: pintura e colagem, na Prisma Galeria de Arte
·         1974 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Luiz Buarque de Holanda e Paulo Bittencourt
·         1982 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no Espaço ABC/Funarte, no MAM/RJ
·         1982 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Luisa Strina
·         1983 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Thomas Cohn
·         1984 - São Paulo SP - Individual, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
·         1986 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Thomas Cohn
·         1987 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Thomas Cohn
·         1989 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Luisa Strina
·         1990 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na GB-Arte
·         1992 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no Paço Imperial
·         1993 - São Paulo SP - Individual, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
·         1994 - Rio de Janeiro RJ - Individual, no MNBA. Galeria do Século XXI
·         1995 - Curitiba PR - Individual, na Casa da Imagem
·         1997 - Rio de Janeiro RJ - Individual, Atelier Finep, no Paço Imperial
·         1998 - Rio de Janeiro RJ - Eduardo Sued: pinturas 1980-1998, no Centro de Arte Hélio Oiticica
·         1999 - Rio de Janeiro RJ - A Gravura e Desenhos, no Museu da Chácara do Céu
·         1999 - Rio de Janeiro RJ - Eduardo Sued: colagens, na Galeria Paulo Fernandes
·         1999 - São Paulo SP - Eduardo Sued: pinturas, instalação, colagens, na Galeria São Paulo
·         2000 - Rio de Janeiro RJ - Eduardo Sued: pequeno formato, pinturas, na Galeria Objetos Diretos
·         2003 - São Paulo SP - Individual, na Marília Razuk Galeria de Arte
·         2004 - Rio de Janeiro RJ - A Experiência da Pintura, no CCBB
·         2005 - São Paulo SP - Individual, na Marília Razuk Galeria de Arte
·         2010 - Rio de Janeiro RJ – Individual na Mul.ti.plo Espaço Arte
·         2011 - Rio de Janeiro RJ – Individual na Mul.ti.plo Espaço Arte
·         2013 - Rio de Janeiro RJ – Individual na Mul.ti.plo Espaço Arte
·         2014 - Rio de Janeiro RJ – Individual na Mul.ti.plo Espaço Arte
·         2015 - Rio de Janeiro RJ – Individual na Mul.ti.plo Espaço Arte
·         2016 - Rio de Janeiro RJ – Individual na Mul.ti.plo Espaço Arte
·         2016 – São Paulo SP –  Individual na Galeria Raquel Arnaud


EXPOSIÇÕES COLETIVAS

·         1953 - Paris (França) - Salon des Travaux Publics, na Galerie Metro Beaux-Arts
·         1958 - São Paulo SP - Coletiva de Gravuras com Grassman, Gruber e Darel
·         1962 - São Paulo SP - Marcelo Grassmann, Eduardo Sued, Oswaldo Goeldi e Darel, na Galeria Residência
·         1964 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, na Petite Galerie
·         1967 - Rio de Janeiro RJ - 3ª O Rosto e a Obra, na Galeria Ibeu Copacabana
·         1968 - Brasília DF - Gravura Brasileira, na Galeria Encontro
·         1970 - Cracóvia (Polônia) - 3ª Bienal Internacional de Gravura
·         1970 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, na Galeria Delaparra
·         1970 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, na Galeria Espaço
·         2007 - Belo Horizonte – MG - Eduardo Sued – Manoel Macedo Galeria de Arte
·         1970 - San Juan (Puerto Rico) - Bienal de San Juan del Grabado Latinoamericana y del Caribe
·         1971 - Biella (Itália) - Prêmio Internacional de Gravura
·         1971 - Helsinque (Finlândia) - Mostra de Gravura Brasileira, na Galeria Pinx
·         1971 - São Paulo SP - Coletiva, na Galeria da Collectio
·         1972 - São Paulo SP - Arte/Brasil/Hoje: 50 anos depois, na Galeria da Collectio
·         1973 - Rio de Janeiro RJ - Quatro Gravadores Brasileiros, na Galeria Grupo B
·         1973 - Roma (Itália) - Gráfica Brasileira Hoje, na Galeria Casa do Brasil
·         1975 - Rio de Janeiro RJ - Arte Brasileira, no MAM/RJ
·         1976 - Buenos Aires (Argentina) - 20 Artistas Brasileiros, no Centro de Arte y Comunicación
·         1978 - Caracas (Venezuela) - Quatro Artistas Brasileiros, na Fundación Eugenio Mendonza
·         1978 - Rio de Janeiro RJ - 3ª Arte Agora: América Latina, geometria sensível, no MAM/RJ
·         1981 - Porto Alegre RS - Artistas Brasileiros dos Anos 60 e 70 na Coleção Rubem Knijnik, no Espaço NO Galeria Chaves
·         1981 - São Paulo SP - 16ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
·         1981 - São Paulo SP - Artistas Contemporâneos Brasileiros, na Galeria de Arte São Paulo
·         1982 - Lisboa (Portugal) - Brasil 60 Anos de Arte Moderna: Coleção Gilberto Chateaubriand, no Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão
·         1982 - Londres (Inglaterra) - Brasil 60 Anos de Arte Moderna: Coleção Gilberto Chateaubriand, na Barbican Art Gallery
·         1983 - Rio de Janeiro RJ - 13 Artistas/13 Obras, na Thomas Cohn Arte Contemporânea
·         1983 - São Paulo SP - Imaginar o Presente, na Gabinete de Arte Raquel Arnaud
·         1984 - Niterói RJ - Coletiva, na Galeria de Arte UFF
·         1984 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, na Galeria Thomas Cohn
·         1984 - Rio de Janeiro RJ - Doações Recentes 82-84, no MNBA
·         1984 - Rio de Janeiro RJ - Pintura Brasileira Atuante, no Espaço Petrobras
·         1984 - São Paulo SP - Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal
·         1984 - São Paulo SP - Victor Grippo, Hércules Barsotti, Marco do Valle, Eduardo Sued, Carlos Fajardo, no Gabinete de Arte
·         1984 - Veneza (Itália) - 41ª Bienal de Veneza
·         1985 - Porto Alegre RS - Iberê Camargo: trajetória e encontros, no Margs
·         1985 - Rio de Janeiro RJ - Encontros, na Petite Galerie
·         1985 - São Paulo SP - Destaques da Arte Contemporânea Brasileira, no MAM/SP
·         1986 - Brasília DF - Iberê Camargo: trajetória e encontros, no Teatro Nacional Cláudio Santoro
·         1986 - Fortaleza CE - Coletiva, na Arte Galeria
·         1986 - Niterói RJ - A Ordem em Questão, na Galeria de Artes UFF
·         1986 - Porto Alegre RS - Coleção Rubem Knijnik: arte brasileira anos 60/70/80, no Margs
·         1986 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, na Petite Galerie
·         1986 - Rio de Janeiro RJ - Iberê Camargo: trajetória e encontros, no MAM/RJ
·         1986 - São Paulo SP - Coletiva, na Galeria Luisa Strina
·         1986 - São Paulo SP - Iberê Camargo: trajetória e encontros, no Masp
·         1987 - São Paulo SP - 19ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
·         1989 - Rio de Janeiro RJ - Geometria sem Manifesto, no Gabinete de Arte Cleide Wanderley
·         1989 - Rio de Janeiro RJ - Rio Hoje, no MAM/RJ
·         1989 - São Paulo SP - 20ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
·         1989 - São Paulo SP - Gesto e Estrutura, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
·         1990 - Atami (Japão) - 9ª Exposição Brasil-Japão de Arte Contemporânea
·         1990 - Brasília DF - 9ª Exposição Brasil-Japão de Arte Contemporânea
·         1990 - Rio de Janeiro RJ - 9ª Exposição Brasil-Japão de Arte Contemporânea
·         1990 - São Paulo SP - 9ª Exposição Brasil-Japão de Arte Contemporânea, na Fundação Brasil-Japão
·         1990 - Sapporo (Japão) - 9ª Exposição Brasil-Japão de Arte Contemporânea
·         1990 - Tóquio (Japão) - 9ª Exposição Brasil-Japão de Arte Contemporânea
·         1992 - Niterói RJ - Galeria de Arte UFF: 10 anos, na Galeria de Arte UFF
·         1995 - Rio de Janeiro RJ - Coleção Unibanco: exposição comemorativa dos 70 anos do Unibanco, no MAM/RJ1
·         1995 - Rio de Janeiro RJ - Desafios Contemporâneos, na P. A. Objetos de Arte
·         1992 - Rio de Janeiro RJ - 1ª A Caminho de Niterói: Coleção João Sattamini, no Paço Imperial
·         1995 - Rio de Janeiro RJ - Salão Preto e Branco, no MNBA
·         1992 - São Paulo SP - Anos 60/70: Coleção Gilberto Chateubriand/Museu de Arte Moderna-RJ, na Galeria de Arte do Sesi
·         1995 - Rio de Janeiro RJ - Uma Poética da Reflexão, no MNBA
·         1992 - São Paulo SP - Coletiva, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
·         1995 - São Paulo SP - Morandi no Brasil, no CCSP
·         1994 - Poços de Caldas MG - Coleção Unibanco: exposição comemorativa dos 70 anos do Unibanco, na Casa da Cultura
·         1996 - Niterói RJ - Arte Contemporânea Brasileira na Coleção João Sattamini, no MAC/Niterói
·         1994 - Rio de Janeiro RJ - Precisão, no CCBB
·         1996 - Rio de Janeiro RJ - Geometria-Rio, no Paço Imperial
·         1994 - São Paulo SP - Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal
·         1997 - Rio de Janeiro RJ - Prêmio Johnnie Walker, no MNBA. Sala Século XXI - premiado
·         1998 - Londrina PR - Arte Brasileira, na UEL
·         1998 - São Paulo SP - Destaques da Coleção Unibanco, no Instituto Moreira Salles
·         1998 - São Paulo SP - O Moderno e o Contemporâneo na Arte Brasileira: Coleção Gilberto Chateaubriand - MAM/RJ, no Masp
·         1998 - São Paulo SP - Os Colecionadores - Guita e José Mindlin: matrizes e gravuras, na Galeria de Arte do Sesi
·         1999 - Niterói RJ - Mostra Rio Gravura. Acervo Banerj, no Museu do Ingá
·         1999 - Rio de Janeiro RJ - Mostra Rio Gravura. Coleção Guita e José Mindlin, no Espaço Cultural dos Correios
·         1999 - Rio de Janeiro RJ - Mostra Rio Gravura. Gravura Moderna Brasileira: Acervo Museu Nacional de Belas Artes, no MNBA
·         1999 - Rio de Janeiro RJ - Volpi e Sued, na Galeria de Arte Ipanema
·         2000 - Niterói RJ - Pinturas na Coleção João Sattamini, no MAC/Niterói
·         2000 - São Paulo SP - Brasil + 500 Mostra do Redescobrimento, na Fundação Bienal
·         2000 - São Paulo SP - Investigações. A Gravura Brasileira, no Itaú Cultural
·         2001 - Brasília DF - Investigações. A Gravura Brasileira, na Galeria Itaú Cultural
·         2001 - Penápolis SP - Investigações. A Gravura Brasileira, na Galeria Itaú Cultural
·         2001 - Porto Alegre RS - Coleção Liba e Rubem Knijnik: arte brasileira contemporânea, no Margs
·         2001 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som de Antônio Carlos Jobim, no Paço Imperial
·         2001 - Rio de Janeiro RJ - Aquarela Brasileira, no Centro Cultural Light
·         2001 - Rio de Janeiro RJ - O Espírito de Nossa Época,no MAM/RJ
·         2001 - São Paulo SP - O Espírito de Nossa Época, no MAM/SP
·         2002 - Niterói RJ - Diálogo, Antagonismo e Replicação na Coleção Sattamini, no MAC/Niterói
·         2002 - Passo Fundo RS - Gravuras: Coleção Paulo Dalacorte, no Museu de Artes Visuais Ruth Schneider
·         2002 - Porto Alegre RS - Gravuras: Coleção Paulo Dalacorte, no Museu do Trabalho
·         2002 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som do Rock Pop Brasil, no Paço Imperial
·         2002 - Rio de Janeiro RJ - Caminhos do Contemporâneo 1952-2002, no Paço Imperial
·         2002 - São Paulo SP - 10 Anos Marília Razuk, na Marília Razuk Galeria de Arte
·         2002 - São Paulo SP - 28 (+) Pintura, no Espaço Virgílio
·         2002 - São Paulo SP - Geométricos e Cinéticos, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
·         2002 - São Paulo SP - Mapa do Agora: arte brasileira recente na Coleção João Sattamini do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, no Instituto Tomie Ohtake
·         2003 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Brazilianart, na Almacén Galeria de Arte
·         2004 - Rio de Janeiro RJ - 30 Artistas, no Mercedes Viegas Escritório de Arte
·         2007 - Vila Velha – ES – “Arte para Criança” – Museu Vale do Rio Doce
·         2008 - Rio de Janeiro – RJ – “Arte para Criança” MAM – Rio
·         2008 - Rio de Janeiro – RJ – “Poetas da Cor no MAC de NIterói” – MAC - Niterói



Fonte: Assessoria de Imprensa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

TOP 10

Estudando para concurso? Compre sua apostila aqui!